Tucano de Mato Grosso ganha cargo de estatal de Minas para trabalhar no Rio

Ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos defende a candidatura de Aécio Neves à Presidência em 2014: "Quando se fala em Aécio a gente até arrepia. Ele empolga"

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Quando se fala em Aécio a gente até arrepia. O Aécio empolga. A fila anda e já andou para o Serra. Tudo tem seu tempo. Isso é bíblico.”, diz tucano de Mato Grosso que ganhou cargo em Minas

Ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos (PSDB) ganhou o cargo de conselheiro da Transmissora Aliança de Energia Elétrica, Taesa Energia, empresa controlada pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). 

Ele é o segundo tucano de fora de Minas indicado para cargo de livre nomeação durante a gestão do governador mineiro Antonio Anastasia (PSDB). O ex-senador pelo Amapá Papaléo Paes (PSDB) também foi recentemente indicado para ser conselheiro da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), outra empresa ligada à Cemig. O ex-prefeito de Cuiabá disputou e perdeu o governo do Mato Grosso no ano passado. Ele obteve 16,55% dos votos, contra 31,85% de Mauro Mendes (PSB) e 51,21% de Sinval Barbosa (PMDB).

Enquanto Papaléo é mais reservado quanto à sua predileção sobre o futuro presidenciável do PSDB, Wilson Santos defende abertamente a candidatura do senador mineiro Aécio Neves - padrinho de Anastasia e ex-governador de Minas - à presidência da República em 2014.

Divulgação
Aécio Neves e Wilson Santos, em 2009: "Chegou a vez do Aécio, e não é só porque ele é simpático, carismático, jovem e inteligente", diz ex-prefeito
“Tancredo não conseguiu ser presidente, mas Aécio conseguirá”, aposta. Ele diz também que se Aécio fizer uma dobradinha com políticos do PSB, terá uma “chapa forte”. O ex-prefeito de Cuiabá cita como possíveis vices o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, o ex-ministro Ciro Gomes e o governador do Ceará, Cid Gomes.

“Quando se fala em Aécio a gente até arrepia. O Aécio empolga. A fila anda e já andou para o José Serra . Tudo tem seu tempo. Isso é bíblico. Chegou a vez do Aécio, e não é só porque ele é simpático, carismático, jovem e inteligente. Chegou a vez dele porque ele é preparado e qualificado. Só tem uma pessoa no PSDB para derrotar o PT e chama-se Aécio Neves”, defendeu Santos, conselheiro da Taesa desde maio deste ano, cargo pelo qual recebe R$ 9 mil, de acordo com informações da Cemig.

Santos deve participar de pelo menos uma reunião mensalmente, no Rio de Janeiro, onde fica a sede da Taesa. O ex-prefeito diz que, entre os 11 conselheiros, 6 são indicados pela Cemig, que controla 56% da Taesa. “Estou dentro da cota de indicação da Cemig”, explica.

Críticas em Minas

Os espaços dados a Papaléo e a Wilson Santos em empresas ligadas à Cemig vêm sendo motivo de polêmica na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. O bloco de oposição ao governo, “Minas sem Censura”, questiona a medida, sob argumento de que os tucanos estariam sendo acomodados em prol da construção da candidatura de Aécio à presidência em 2014 .

“É um cabide de empregos. O governador Anastasia está preocupado com o projeto do Aécio em 2014, está preocupado com contatos políticos. Ele tem se pautado em construir o Estado em função dos interesses pessoais do Aécio”, opinou o líder do bloco de oposição, Rogério Correia (PT), autor de requerimento cobrando explicações do governo mineiro.

Não sei te informar como é o trabalho porque participei de poucas reuniões”, diz Santos

O ex-prefeito diz que foi o governador Antonio Anastasia quem o indicou para a função na Taesa. Ele nega, entretanto, qualquer envolvimento do senador Aécio. “A indicação é do Executivo. O Aécio já foi do Executivo, mas não é mais. A indicação foi do Anastasia”. Questionado se recebeu alguma ligação de Anastasia, o ex-prefeito, que é formado em Direito, negou. “Não sei muito bem como foi o processo de indicação”, desconversou. Sobre suas atribuições na Taesa, Santos disse: “Não sei te informar como é o trabalho porque participei de poucas reuniões”.

O governo de Minas, por meio da Cemig, nega que a indicação de Wilson Santos seja política. A Cemig informou, por meio de assessoria de imprensa, que a diretoria da estatal indicou o ex-prefeito pelo seu perfil de gestor público. Sem citar nomes de quem teria indicado Santos, a assessoria também destacou que a Cemig e a Taesa possuem atuação em todo o País e, portanto, não há qualquer problema na indicação de um conselheiro de fora de Minas Gerais.

    Leia tudo sobre: aécio neveswilson santoscemigantonio anastasia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG