Presidente da sigla, porém, descarta participação do PSDB em aliança em Minas. PSB, do prefeito Lacerda, quer tucanos na chapa

Rui Falcão (o segundo da esquerda para a direita), presidente nacional do PT, em encontro em Minas
Denise Motta/iG
Rui Falcão (o segundo da esquerda para a direita), presidente nacional do PT, em encontro em Minas
O presidente nacional do PT, Rui Falcão , sinalizou nesta segunda-feira (29) que o PT e o PSB irão manter o casamento com vistas às eleições municipais de Belo Horizonte. Porém, avisou que seu partido só estará na aliança se o PSDB não tiver espaço na chapa majoritária.

O atual prefeito, Marcio Lacerda (PSB), teve como padrinhos em 2008 o então prefeito da cidade,  Fernando Pimentel, hoje ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, e o então governador de Minas e atual senador, Aécio Neves (PSDB-MG).

Lacerda e Falcão se reuniram no começo da noite para tratar das eleições 2012. Também participou do encontro o presidente estadual do PSB, Walfrido dos Mares Guia . Falcão avisou: "Não aceitamos chapa com PSDB, DEM e PPS". Acordos com tais legendas, sem apoio formal, entretanto, não estão descartados. “O que pode existir eventualmente é uma aliança receber o apoio de alguns partidos. Vamos avaliar”, explicou o dirigente petista.

Nas suas declarações, Falcão fez questão de alfinetar Aécio. Ele disse que o tucano tem um discurso “tímido e sem nenhuma ressonância nacional”. O petista também afirmou que Aécio precisa viabilizar espaço em seu próprio partido. “Ele busca espaço em seu próprio partido, em primeiro lugar desalojando o ex-governador José Serra , mas ele ainda enfrenta dificuldades porque há pretensões do Geraldo Alckmin (em controlar o partido). Como é do seu estilo, ele aguarda declinar o prestígio da presidenta Dilma, o que parece difícil”.

O PSDB, avisou Mares Guia, pode, sim, participar formalmente da aliança com os petistas e tucanos. Para o líder do PSB, Lacerda tem sustentabilidade para caminhar sozinho, sem a necessidade de um espaço grande para lideranças do PT e do PSDB na propaganda eleitoral e eventos de campanha, o que causaria constrangimento, já que hoje Pimentel e Aécio estão em lados opostos.

Mares Guia avisou que não aceitará que partidos da aliança coloquem restrições a participações de aliados. Portanto, se Aécio quiser subir no palanque de Lacerda, poderá. Já a presidenta Dilma Rousseff (PT), acredita Mares Guia, deve manter uma posição mais discreta, sem efetivamente participar de atos de campanha. O presidente do PSB-MG não soube esclarecer como se daria a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , que há cerca de uma semana almoçou com Lacerda e declarou seu apoio à reedição da aliança.

PT e PMDB

Rui Falcão avisou que o PT caminhará lado a lado com o PMDB no Rio, indicando o candidato a vice na chapa majoritária encabeçada por Eduardo Paes. Entre os nomes, contou, estão Jorge Bittar, Carlos Minc, Gilberto Palmares e Adilson Pires.

Já em São Paulo, o PT quer manter prefeituras do Grande ABC e terá candidatura própria na capital. Questionado sobre como se dará a escolha para o nome que diusputará a sucessão de Gilberto Kassab, ele respondeu: “Não vamos decidir em uma mesa de restaurante, com um bom vinho”, ironizou Falcão, sobre decisões entre lideranças do PSDB que se dariam em almoços ou jantares com a participação de apenas a cúpula da legenda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.