PT deve manter apoio a Lacerda em BH e fechar com Paes no Rio, diz Rui Falcão

Presidente da sigla, porém, descarta participação do PSDB em aliança em Minas. PSB, do prefeito Lacerda, quer tucanos na chapa

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Denise Motta/iG
Rui Falcão (o segundo da esquerda para a direita), presidente nacional do PT, em encontro em Minas
O presidente nacional do PT, Rui Falcão , sinalizou nesta segunda-feira (29) que o PT e o PSB irão manter o casamento com vistas às eleições municipais de Belo Horizonte. Porém, avisou que seu partido só estará na aliança se o PSDB não tiver espaço na chapa majoritária.

O atual prefeito, Marcio Lacerda (PSB), teve como padrinhos em 2008 o então prefeito da cidade,  Fernando Pimentel, hoje ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, e o então governador de Minas e atual senador, Aécio Neves (PSDB-MG).

Lacerda e Falcão se reuniram no começo da noite para tratar das eleições 2012. Também participou do encontro o presidente estadual do PSB, Walfrido dos Mares Guia . Falcão avisou: "Não aceitamos chapa com PSDB, DEM e PPS". Acordos com tais legendas, sem apoio formal, entretanto, não estão descartados. “O que pode existir eventualmente é uma aliança receber o apoio de alguns partidos. Vamos avaliar”, explicou o dirigente petista.

Nas suas declarações, Falcão fez questão de alfinetar Aécio. Ele disse que o tucano tem um discurso “tímido e sem nenhuma ressonância nacional”. O petista também afirmou que Aécio precisa viabilizar espaço em seu próprio partido. “Ele busca espaço em seu próprio partido, em primeiro lugar desalojando o ex-governador José Serra , mas ele ainda enfrenta dificuldades porque há pretensões do Geraldo Alckmin (em controlar o partido). Como é do seu estilo, ele aguarda declinar o prestígio da presidenta Dilma, o que parece difícil”.

O PSDB, avisou Mares Guia, pode, sim, participar formalmente da aliança com os petistas e tucanos. Para o líder do PSB, Lacerda tem sustentabilidade para caminhar sozinho, sem a necessidade de um espaço grande para lideranças do PT e do PSDB na propaganda eleitoral e eventos de campanha, o que causaria constrangimento, já que hoje Pimentel e Aécio estão em lados opostos.

Mares Guia avisou que não aceitará que partidos da aliança coloquem restrições a participações de aliados. Portanto, se Aécio quiser subir no palanque de Lacerda, poderá. Já a presidenta Dilma Rousseff (PT), acredita Mares Guia, deve manter uma posição mais discreta, sem efetivamente participar de atos de campanha. O presidente do PSB-MG não soube esclarecer como se daria a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , que há cerca de uma semana almoçou com Lacerda e declarou seu apoio à reedição da aliança.

PT e PMDB

Rui Falcão avisou que o PT caminhará lado a lado com o PMDB no Rio, indicando o candidato a vice na chapa majoritária encabeçada por Eduardo Paes. Entre os nomes, contou, estão Jorge Bittar, Carlos Minc, Gilberto Palmares e Adilson Pires.

Já em São Paulo, o PT quer manter prefeituras do Grande ABC e terá candidatura própria na capital. Questionado sobre como se dará a escolha para o nome que diusputará a sucessão de Gilberto Kassab, ele respondeu: “Não vamos decidir em uma mesa de restaurante, com um bom vinho”, ironizou Falcão, sobre decisões entre lideranças do PSDB que se dariam em almoços ou jantares com a participação de apenas a cúpula da legenda.

    Leia tudo sobre: rui falcãomarcio lacerdaptpsbpsdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG