Prisão do goleiro Bruno ganha revista por raio x

É a primeira unidade em Minas a implantar a novidade tecnológica

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Divulgação
Máquina de raio x vai detectar drogas e metais
Um sistema de raio x substituirá as revistas na Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Grande Belo Horizonte. Esta penitenciária é uma das principais do Estado. É nela onde, por exemplo, o ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes de Souza aguarda julgamento pelo desaparecimento da ex-amante Eliza Samudio. Chamado Body Scan, o aparelho de revista corporal é capaz de detectar drogas e metais, incluindo as ingeridas. Ele começa a ser utilizado a partir do próximo final de semana, quando ocorrem visitas íntimas e mulheres podem passar uma noite com seus parceiros presos. Com a aparelho, acaba a revista íntima na unidade prisional.

O secretário estadual de Defesa Social, Lafayette Andrada, afirma: “a utilização da nova tecnológica reduz os constrangimentos da revista e torna a entrada mais ágil, diminuindo o tempo de espera nas filas e aumentando a segurança da unidade no que se refere à entrada de objetos proibidos”.

Divulgação
A máquina de raio x permite ver dentro do corpo de funcionários e visitantes
Conforme informações da assessoria de imprensa da secretaria de Defesa Social, o Body Scan é uma espécie de cabine, de onde é possível ver dentro do corpo dos funcionários e visitantes. O operador da máquina fica em uma sala anexa para visualizar a imagem gerada: uma radiografia de ossos, objetos e contorno do corpo. É como o aparelho pelo qual passam bagagens em aeroportos. O processo de revista no Body Scan dura aproximadamente 40 segundos. Ele será utilizado não apenas para revistas em visitantes de detentos, mas também em funcionários no momento em que entrarem na unidade prisional. Há restrição de uso em pessoas em tratamento por radioterapia, grávidas ou portadores de marca passo.

Com custo mensal de R$ 19 mil, o aparelho será alugado por um período de 36 meses. A Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria foi recentemente apontada como uma unidade onde haveria regalias a presos. O ex-goleiro do Flamengo, por exemplo, teria utilizado um celular para se comunicar com sua noiva, a dentista Ingrid Calheiros. Durante uma revista recente, foram encontradas armas caseiras com detentos e parte da direção foi afastada, sendo substituída por um grupo diferente.

    Leia tudo sobre: sistema de raio xrevistasminas geraisbody scan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG