Polícia conclui que gás de banheira matou casal em Minas Gerais

Eles foram encontrados mortos em março de 2011 em uma pousada de Brumadinho; proprietário foi indiciado por homicídio culposo

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Reprodução Facebook
Casal de namorados morto em Minas Gerais
O sistema de aquecimento a gás de uma banheira foi o responsável pela morte de dois estudantes em uma pousada em Minas Gerais .

Nesta segunda-feira (27), a Polícia Civil de Minas Gerais remeteu à Justiça mineira o inquérito referente às mortes dos estudantes Gustavo Lage Caldeira Ribeiro, 23, e a namorada dele, Alessandra Paolinelli Barros, 22. O casal passava alguns dias na Pousada Estalagem do Mirante, em Brumadinho, a 50 quilômetros de Belo Horizonte. Eles foram encontrados mortos no dia 17 de março de 2011.

Conforme informações da delegada Helenice Ferreira, o proprietário da pousada, Luciano França Drummond e o bombeiro hidráulico Rodrigo Morais foram indiciados por homicídio culposo, ou seja, quando não há intenção de matar.

Conforme as investigações da polícia, uma obra que interrompeu o escapamento de gás foi responsável pelas mortes dos jovens. Alessandra e Gustavo chegaram na pousada no dia 15 de março e, na data das mortes, utilizaram a banheira com aquecimento a gás e também uma lareira.

O laudo da polícia apontou excesso de monóxido de carbono nos corpos dos estudantes . Não havia qualquer sinal de violência nos estudantes e inicialmente a polícia trabalhou com a hipótese de envenenamento .

Advogado de defesa da pousada, Fernando Júnior afirmou ao iG que ainda não tem detalhes sobre o indiciamento e, por isso, não pode entrar em detalhes sobre o assunto. Ele disse que a pousada já funciona há nove anos, tem alto padrão e equipamentos de primeira linha. Portanto, destacou ele, é anormal o que houve com os estudantes.

“Se houvesse este tipo de falha, já teria acontecido com outras pessoas. De qualquer forma, quero analisar a conclusão do inquérito antes de me manifestar”, disse. Sobre a suíte em que Alessandra e Gustavo foram encontrados mortos, o advogado comentou: “A suíte foi liberada pela polícia no mesmo dia. Nunca houve interdição na pousada”.

    Leia tudo sobre: casalmortegáspousadabrumadinho

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG