Polícia Civil de Minas Gerais investigará consulesa de Honduras

Segundo vizinhos, ela agrediu um morador de rua em Belo Horizonte, perto da casa onde mora

Denise Motta, iG Minas Gerais |

A assessoria de imprensa da Polícia Civil de Minas Gerais informou na tarde desta segunda-feria (12) que irá investigar suposta agressão da esposa do cônsul de Honduras em Belo Horizonte, Marília Rodrigues de Pineda, a um morador de rua, ocorrida durante o final de semana.

Segundo a assessoria, a consulesa foi denunciada por vizinhos e um boletim de ocorrência foi feito pela Polícia Militar de Minas Gerais. O caso será apurado pela 2ª Delegacia de Polícia Civil do Centro.

Entenda o caso: Mulher de cônsul é acusada de espancar morador de rua em Minas

A consulesa teria dado coronhadas em um morador de rua que estava próximo ao seu prédio e ainda teria ameaçado atear fogo nele, no sábado (10), no bairro Funcionários, região Centro-Sul da capital mineira. A Polícia Militar apreendeu no local uma arma calibre 22, de acordo com a assessoria da Policia Civil. Enquanto o morador de rua foi atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a mulher do cônsul foi encaminhada para um hospital. A versão oficial é que ela foi internada devido ao seu estado emocional.

A Polícia Civil, por meio de sua assessoria, afirmou desconhecer que a consulesa tenha algum tipo de imunidade. O iG entrou em contato com o consulado de Honduras, mas o cônsul Héctor Nery Pineda Mendoza não foi encontrado para comentar o caso. De acordo com informações do consulado, o assunto não será comentado.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG