Pimentel cumpre palavra e processa José Serra

Petista pede R$ 40 mil de indenização por danos morais de tucano, que o acusou de fabricar dossiês durante a campanha de 2010

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Agência Estado
O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel
Ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o petista Fernando Pimentel cumpriu a palavra dada durante a campanha eleitoral da presidenta Dilma Rousseff (PT), de que iria processar o então candidato do PSDB à Presidência, José Serra .

No ano passado, durante a disputa eleitoral, o tucano acusou o ministro de ser responsável pela fabricação de dossiês , com base em quebras de sigilos fiscais de dirigentes do PSDB, como Eduardo Jorge, vice-presidente da legenda. Coordenador da campanha de Dilma, Pimentel foi afastado após o escândalo dos dossiês.

A briga judicial entre Pimentel e Serra teve início em 28 de agosto do ano passado, quando o ministro era candidato ao Senado por Minas Gerais. O processo, então, foi registrado na 9ª Vara Cível de Belo Horizonte. As últimas movimentações da ação por danos morais indicam que o ex-governador de São Paulo José Serra deverá ser notificado nos próximos dias, por meio de carta precatória.

Informações da petição inicial protocolada no Tribunal de Justiça de Minas Gerais apontam como argumento da ação acusações de Serra contra Pimentel. “José Serra afirmou que Pimentel foi responsável pela coordenação do grupo de dossiê sujo dentro do PT. Disse que Pimentel praticou e pratica jogo sujo e foi responsável pelo início das quebras de sigilo, usando funcionários ligados ao PT”, diz trecho do documento.

A petição cita como prova uma entrevista de Serra publicada pelo jornal Zero Hora , de Porto Alegre, em julho do ano passado. “Isso é jogo sujo, e o PT estava montando isso e foi descoberto. Tudo coordenado por um personagem importante do PT, que é o Fernando Pimentel. Não é um zé ninguém”, disse Serra na entrevista.

O ministro petista reuniu um grupo de 10 advogados de Minas Gerais, São Paulo, Distrito Federal e da Bahia para cuidar da ação, cujo valor está estimado em R$ 40 mil. De acordo com o processo em tramitação, advogam em favor do petista Erico Andrade, Mariana Cristina Xavier Galvão, Pedro Augusto De Araújo Freitas, Pedro Henrique Magalhães Azevedo e Thais De Bessa Gontijo De Oliveira (Minas Gerais); Flavio Crocce Caetano e Mariana Toledo (São Paulo); Marcio Luiz Silva e Rayanna Werneck (Distrito Federal), além de Sidney Sá das Neves (Bahia).

Como José Serra sequer foi notificado, ainda não constam informações sobre seus advogados de defesa. A reportagem do iG entrou em contato com a assessoria de Serra, mas ele não quis se pronunciar sobre o caso.

    Leia tudo sobre: Fernando PimentelJosé Serraeleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG