Mulher diz ter sido agredida e tocada em boate de Belo Horizonte

Danielle Fernandes, de 28 anos, diz que violência começou quando ela se recusou a beijar um rapaz dentro da Major Lock

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Reprodução
Danielle Fernandes fala sobre o caso no seu perfil, no Facebook: ela diz que rapaz a tocou por baixo do vestido e lhe deu um banho de energético
A agente de viagens Danielle Fernandes, de 28 anos, afirmou no seu perfil no Facebook que foi agredida por um homem na Major Lock, boate na região centro-sul de Belo Horizonte. Segundo ela, a agressão aconteceu porque ela se recusou a dar um beijo no homem durante um show. O fato ocorreu, segundo ela, no sábado (22). Um segurança e o proprietário da boate, de acordo com a denúncia, não tomaram providência porque “era a palavra dela contra a do suposto agressor”, afirmou o dono da casa de shows ao iG , Ramiro Maia.

Leia também: Vídeo mostra agressão à garota em casa noturna

O caso remete a um caso ocorrido em uma boate de Natal, no dia 30 de setembro. Rhanna Diógenes, de 19 anos, teve o braço quebrado após se recusar um beijo de um rapaz . A agressão foi filmada e a polícia do Rio Grande do Norte investiga o caso. “Só quero justiça. Se as mulheres não denunciarem violência continuarão sendo agredidas”, disse Danielle ao iG .

Alegaram que não houve flagrante e um segurança despreparado veio me dizer que "Maria da Penha" só se aplica a casais casados. E eu nem havia falado em tal lei, mas falei sobre violência contra a mulher, que foi o que ocorreu"

No post “Violência contra a mulher no Major Lock”, Danielle diz ter sido abordada por um homem que tentou beijá-la à força. Ao se recusar, ela teve o braço puxado, antes que o homem a tocasse por debaixo do vestido.

Danielle também afirma que o suposto agressor jogou bebida nela e a chamou de prostituta e lésbica. A agressão verbal teria sido na frente de um segurança. “O que sofri foi uma violência que me lesou em todos os aspectos. Fui desrespeitada por todos os homens que procurei para pedir ajuda. Sinal que todos são capazes da mesma atrocidade”, continua ela.

Danielle conta no Facebook que o segurança chegou a mencionar a Lei Maria da Penha. “Alegaram que não houve flagrante e um segurança despreparado veio me dizer que "Maria da Penha" só se aplica a casais casados. E eu nem havia falado em tal lei, mas falei sobre violência contra a mulher, que foi o que ocorreu”.

O proprietário da Major Lock negou que tenha havido omissão. Ele disse que conversou com Danielle na noite do ocorrido e que foi ela quem se negou a acionar a polícia. Na rede social ela diz que fez um boletim de ocorrência antes de ir para casa, por volta de 3h. Nesta segunda-feira (24) ela fez outro boletim de ocorrência relatando a omissão da boate no caso.

Questionado se não teria responsabilidade por um ato de violência dentro de um estabelecimento de sua responsabilidade, Ramiro Maia afirmou ter consultado um advogado, que o informou ser, nestes casos, a vítima a única responsável por acionar a polícia. Apesar da denúncia no Facebook, o dono da boate nega que irá acionar a polícia após a repercussão. O post de Danielle sobre a agressão já teve mais de 2.700 compartilhamentos.

“A casa tem os dados do suposto agressor e estamos à disposição para ajudar. O caso foi por volta de 1h e ela ainda ficou lá até 3h. Nos prontificamos a chamar a polícia ou irmos para a delegacia, mas ela disse que preferia curtir”, afirmou ao iG o proprietário da boate. A mulher diz que foi Maia quem sugeriu a ela “curtir” após a agressão, ocorrida às 2h. O iG ainda não conseguiu localizar o agressor nem saber qual é a sua identidade.

Conheça casos famosos de violência contra a mulher :

- Caso Lindomar Castilho : cantor matou a ex-mulher com um tiro em 1981. Sete anos depois, saiu da prisão em liberdade condicional

- Caso Daniella Perez : atriz foi assassinada a golpes de tesoura. Guilherme de Pádua e Paula Thomaz, condenados pelo crime, estão soltos

- Caso Pimenta Neves : jornalista foi condenado a 15 anos de prisão por matar a ex-namorada e também jornalista Sandra Gomide em 2000

- Caso Mércia Nakashima : advogada foi morta em maio de 2010. Ex-namorado Mizael Bispo é acusado do crime. Ele está foragido

- Caso Goleiro Bruno : ex-goleiro Bruno Fernandes é acusado de mandar matar Eliza Samúdio, com quem teve um filho. Ele está preso em Contagem (MG)

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG