Homem mantém prima de 14 anos refém desde sexta-feira em Minas

Contato com a polícia é realizado pela rádio local e emissoras de TV de São Roque de Minas. Outro primo que ajudou a planejar o crime foi preso

iG São Paulo |

Lindair Marques, de 32 anos, mantém a prima, de 14, refém desde a última sexta-feira (30) em uma mata dentro do Parque Nacional da Serra da Canastra, em São Roque de Minas, no centro-oeste mineiro, segundo informações da Polícia Militar. Marques estava em liberdade condicional e, após realizar pequenos furtos na cidade, havia pedido R$ 20 mil aos familiares para fugir. Como a família não tinha o dinheiro, ele decidiu levar a prima como garantia.

Leia mais notícias de Minas Gerais

Alisson Gontijo/O Tempo/Futura Press
Imagem de São Roque de Minas, cidade mineira onde prima é mantida refém
Um sargento da PM informou ao iG que o local onde Marques mantém a jovem é afastado e tem problemas com o sinal das operadoras de celular. Por isso, desde sexta-feira, o contato com o sequestrador e vítima tem sido feito pela rádio local e emissoras de televisão. "Durante as ligações, Lindair tranqulizou a família e disse que libertaria a garota hoje. Ela também afirma que a situação está tranquila e que tem se alimentado normalmente".

O fato mudou a rotina da pequena cidade de São Roque de Minas, localizada a 330 km da capital Belo Horizonte, com aproximadamente 6 mil habitantes. Moradores acompanham os contatos entre polícia e sequestrador já que são transmitidos ao vivo pelas emissoras de rádio e TV.

Ainda segundo o sargento, Lindair já foi preso outras vezes por envolvimento em inúmeros casos de furto na cidade. O sequestro teria sido ainda planejado com a ajuda de um outro primo, o ex-prefeito Antônio Batista Sobrinho. Ele iria pegar o resgate supostamente a pedido do sequestrador e acabou sendo preso por envolvimento no crime.

Na delegacia, porém, Sobrinho negou que sabia do sequestro. Ele apenas contou que estava com a mulher e as duas filhas quando o primo do lado da família da esposa chegou. A família foi trancada, amarrada no quarto e ameaçada de morte. A jovem de 14 anos, segundo Sobrinho, se ofereceu para ir com o sequestrador.

Ao todo, 80 homens das polícias civil e militar cercam o local e acompanham as negociações. O sargento infomou que Lindair apenas pediu para que helicópteros deixassem de sobrevoar a região, "pois isso o deixava assustado". "Ele não apresentou traços violentos e temos tudo para acreditar que o caso terminará bem", disse.

*com AE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG