Editora diz que dicionário com termos pejorativos contra ciganos está esgotado

O iG, no entanto, localizou em livrarias virtuais a edição do Houaiss com palavras preconceituosas como "velhaco" e "sovina" à venda

Denise Motta, iG Minas Gerais |

A Editora Objetiva disse nesta terça-feira, por meio de nota, que a edição de 2001 do Dicionário Houaiss está esgotada e fora de circulação. Nesta segunda-feira, o Ministério Público Federal (MPF) divulgou ação  para retirar de circulação os exemplares do dicionário que contêm expressões pejorativas referentes à palavra cigano .

A ação do MPF de Uberlândia, cidade a 530 quilômetros da capital mineira, envolve, além da editora, o Instituto Antônio Houaiss . A palavra cigano tem como um de seus significados “que ou aquele que trapaceia; velhaco, burlador” e “que ou aquele que faz barganha, que é apegado ao dinheiro; agiota, sovina”.

“A editora não recebeu notificação da referida ação, mas pelas declarações do MP publicadas na imprensa pode informar que a acepção citada nas matérias é da edição de 2001 do Grande Dicionário Houaiss. O contrato relativo à publicação desta obra venceu em 2009. Hoje, ela está esgotada e fora de circulação”, alegou a editora na nota.

O iG , no entanto, localizou em pelo menos três livrarias virtuais a venda da edição do Grande Dicionário Houaiss, de 2001. A versão online do dicionário também contém os termos pejorativos.

A Editora Objetiva também citou quais dicionários Houaiss são comercializados atualmente, desde janeiro de 2010: Dicionário Houaiss Conciso, Míni Dicionário Houaiss, quarta edição revista, Dicionário Ilustrado Houaiss. Eles, informou a editora, não possuem os termos pejorativos, alvos da ação do MPF. “Assim que a editora for notificada da ação, prestará este esclarecimento ao Ministério Público Federal de Uberlândia”, finalizou.

Já o Instituto Antônio Houaiss, também por meio de nota, informou que recebeu em maio de 2010 uma recomendação da Procuradoria da República do Estado de Minas Gerais referente aos significados da palavra cigano. O instituto diz ter explicado, na ocasião, que tratava-se do Dicionário Houaiss publicado em 2001, em sua primeira edição, e que tal “edição que não iria ter mais reimpressões”. E ainda que na segunda edição, ainda não publicada, já havia feita a alteração dos significados, retirando os termos pejorativos.

“Nossa 2ª edição ficou pronta no fim de 2011, mas ainda não houve como imprimi-la e publicá-la até agora. Ela só existe no nosso banco de dados, por enquanto”, destacou em nota, finalizando: “A questão dos sentidos pejorativos ligados a algumas palavras é inconfortável e precisa ser esclarecida. Os dicionários não criam termos na língua; eles apenas refletem, como espelhos, as ocorrências com que se deparam, não os usando, portanto, com intenção de atacar, ferir ou menosprezar pessoas ou grupos”.

    Leia tudo sobre: dicionáriohouaisspreconceitociganos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG