Dirigente afastado do PT de Belo Horizonte é preso por pedofilia

Nartagman Borges foi condenado em abril de 2010 e estava foragido. Ele alega inocência e diz ser vítima de uma armação

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Condenado por pedofilia, um dirigente afastado do PT de Belo Horizonte foi preso nesta quinta-feira na região de Venda Nova, em Belo Horizonte. Nartagman Wasley Aparecido Borges, de 35 anos, cumprirá pena, conforme a sentença, de sete anos e nove meses por ter abusado de L. L. N, com nove anos em 2004, época do crime. Hoje, a vítima, que é filha de uma ex-companheira do petista, possui 16 anos. O petista foi encaminhado para o Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) São Cristóvão.

Nartagman alegou inocência durante o processo. Ele argumentou que fora vítima de uma armação envolvendo o ex-marido de sua esposa, que é pai da vítima. A ex-companheira de Nartagman foi quem o denunciou à polícia, após saber do fato pela irmã da vítima, sua filha mais velha, com 17 anos em 2004. Ao saber do abuso, a mãe da criança exigiu que ele deixasse seu apartamento.

“O denunciado Nartagman Wasley Aparecido Borges negou a prática do crime. Entretanto, face às circunstâncias e depoimentos constantes dos autos, existem fartos indícios que o comprometem e o apontam como autor do delito, haja vista já ter tentado abusar sexualmente da irmã da vítima M. L. D. N e da empregada G. C. D. S”, diz denúncia do Ministério Público, de 20 de fevereiro de 2008. O promotor Cristovam Joaquim Ramos Filho também destacou que o crime era ainda mais grave tendo em vista que a vítima era enteada do acusado.

Em depoimento durante o inquérito, a criança confirmou que Nartagman abusou sexualmente dela em seu quarto e que, com medo, pediu a ele que parasse. L. L. N estava dormindo ao ser abordada e precisou de suporte psicológico para superar o trauma, consta também no inquérito, ao qual o iG teve acesso.

Secretário de organização do PT municipal, Nartagman foi afastado de suas atividades partidárias quando foi condenado, no ano passado, em abril. Em sua conta no Twitter, Nartagman ainda se apresenta como secretário do PT municipal, mas, de acordo com o presidente do PT de Belo Horizonte, o vice-prefeito da capital mineira, Roberto Carvalho, enquanto o processo tramitava na Justiça, o petista teve suas atividades mantidas na legenda. “Tão logo definiu-se o processo, nós o afastamos”, informou. Apesar de afastado das atividades partidárias, Nartagman ainda é filiado ao PT.

    Leia tudo sobre: pedofiliaptbelo horizonteminas gerais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG