Condenado a 15 anos, borracheiro diz que matou mulher por "amor"

Homem diz que era humilhado pela ex-mulher e que por isso a matou com nove tiros. Ex-advogado de Bruno foi seu advogado

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Assassino da ex-esposa, a cabeleireira Maria Islaine Morais, de 30 anos, o borracheiro Fábio Willian da Silva Soares, de 31 anos, foi condenado a 15 anos de prisão nesta sexta-feira.

Durante o julgamento, ele disse que não premeditou o crime e que matou a ex por amor. O crime foi captado por câmeras de segurança. As imagens mostram que Maria Islaine não teve qualquer chance de se defender e morreu após ser atingida por nove tiros, em janeiro de 2010. Clientes do salão de beleza em que ela trabalhava, em Venda Nova, Belo Horizonte, testemunharam o assassinato.

Também no julgamento, o borracheiro disse que ele e a vítima viviam juntos há quatro anos, em uma relação conturbada, com diversos rompimentos e reconciliações.

Soares afirmou ter descoberto que a cabeleireira teria amantes. Ainda segundo ele, Maria Islaine dizia que iria colocá-lo na prisão, pois já havia conseguido ordem judicial para que ele se mantivesse afastado dela. Por ameaças a ex, o borracheiro foi denunciado por diversas vezes por ela à polícia. ”“Eu era apaixonado, dediquei minha vida a ela, mas ela passou a não me corresponder e a me humilhar”, disse o assassino também durante seu julgamento.

Advogados de defesa e a promotoria avisaram à imprensa que pretendem recorrer do julgamento, ocorrido nesta sexta. A defesa quer rever a pena. A promotoria, aumentá-la.

O advogado do borracheiro é Ércio Quaresma , que já defendeu o ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes de Souza , e hoje defende Marcos Antônio Aparecido, o Bola, acusado de assassinar a ex-amante do atleta, Eliza Samudio. Veja abaixo vídeo sobre o assassinato da cabeleireira:

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG