Prado, 1º de Maio, Guarani e Gutierrez foram os bairros mais atingidos da capital mineira; rompimento de adutora formou cratera e interditou casas

Vários municípios de Minas Gerais, principalmente na região metropolitana de Belo Horizonte, foram atingidos pelas fortes chuvas que atingiram o Estado nas últimas 48 horas. Segundo a Defesa Civil estadual, em Belo Horizonte foram registrados diversos pontos de alagamentos e inundações, principalmente nos bairros 1º de Maio, Prado, Guarani e Gutierrez. Nos próximos dias, a capital mineira deve decretar estado de emergência. O anúncio será feito após publicação no Diário Oficial do município.

Vendaval e queda de granizo: Chuvas deixam cidades de Santa Catarina em emergência

Av. Cristiano Machado ficou alagada depois do rompimento de adutora. Chuva já superou índice do mês de dezembro
AE
Av. Cristiano Machado ficou alagada depois do rompimento de adutora. Chuva já superou índice do mês de dezembro
O rompimento de uma adutora da Copasa provocou a formação de uma cratera, interditando as avenidas Cristiano Machado e Francisco Sá, colocando em risco duas residências. No bairro Floresta, ocorreu o tombamento de um muro sobre alguns veículos, mas sem deixar feridos. 

Nos últimos 15 dias, choveu na capital mineira 373 mm, superando os 320 mm esperado para o mês de dezembro, segundo a Defesa Civil. Já choveu 15% acima da média climatológica na cidade. Nestas ultimas 24h, choveu 92 mm na região centro-sul e 154 mm na Pampulha. 

Leia também:

Tempestade em MG: Chuvas abrem buracos e derrubam árvores em Belo Horizonte

Problema com data marcada: "Eles serão menores, mas nós teremos prejuízo"

Previsão do tempo: Chuva em BH deve continuar nos próximos dias

Serviço: Antes de sair de casa ou do trabalho, veja como está o trânsito em BH

Na cidade de Contagem, os bairros Centro, Nacional, Ressaca e Nova Contagem foram os mais afetados, com registro de deslizamentos, desabamentos de muros e parciais de residências. Seis famílias ficaram desalojadas, sendo três delas retiradas em definitivo pela prefeitura e encaminhadas para o programa bolsa moradia. 

Em Ouro Preto, as intensas chuvas da tarde provocaram a queda parcial de uma residência na área urbana, que soterrou uma criança de dois anos, que dormia no interior do imóvel. Ela foi socorrida por familiares que a retiraram dos escombros. O menino que não sofreu ferimentos. Três famílias estão desabrigadas e outras oito ficaram desalojadas.

O corpo de Poliane Alves de Oliveira, de 27 anos foi localizado no leito do Rio Doce, em Governador Valadares, na manhã da última terça-feira (13). Ela desapareceu após uma forte chuva atingir a cidade.

*com AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.