Luiz de Almeida, de 22 anos, estava internado desde o dia 22 de junho, quando sofreu o acidente na capital mineira

Agência Estado

Mais uma pessoa morreu em consequência das manifestações realizadas em Belo Horizonte (MG) em junho. Luiz Felipe Aniceto de Almeida, de 22 anos, que caiu do viaduto José Alencar durante protesto, teve morte confirmada na noite de quinta-feira (11) no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Almeida estava internado desde o dia 22, quando sofreu o acidente. No dia 27, o estudante Douglas Henrique Oliveira, de 21 anos, morreu depois de cair no mesmo local .

Mais: Morre estudante que caiu de viaduto durante protesto em Belo Horizonte

Almeida caiu do viaduto, na Pampulha, durante confronto entre um grupo que participava do protesto e policiais militares que faziam a proteção do Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão. Na ocasião, a arena recebida jogo entre Japão e México pela Copa das Confederações, organizada pela Federação Internacional de Futebol Associação (Fifa).

Manifestantes voltam às ruas de BH e têm novo confronto com a PM
Brasília: Manifestação tem confronto com a PM e 30 são presos

O local foi palco de pelo menos mais dois confrontos, durante os quais outros cinco jovens também caíram do viaduto. Oliveira sofreu queda enquanto o Brasil enfrentava o Uruguai numa das semifinais da Copa, no dia 26. Ele também foi encaminhado ao HPS, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na mesma noite. A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar as circunstâncias da morte.

No caso de Almeida, o rapaz havia sido socorrido com fraturas nos dois braços e nas duas pernas, além de vários outros ferimentos. Ele foi submetido a cirurgias e respirava com a ajuda de aparelhos até a noite desta quinta-feira, quando não resistiu mais. Almeida deixou uma filha pequena. Além deles, também caíram da construção durante os confrontos os jovens Daniel de Oliveira Martins, de 28, Caio Augusto Lopes, de 17, Gustavo Magalhães Justino, de 19, e Nathália Nascimento Dantas, de 21. Nenhum deles corre risco de morte.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.