Presos fazem rebelião e mantêm reféns na penitenciária onde estão Bruno e Bola

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Professora e agente penitenciário foram rendidos em uma sala de aula dentro da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte

Cerca de 90 detentos da Penitenciária Nelson Hungria, na cidade de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, realizam uma rebelião no pavilhão 1 do complexo. A confusão teria começado nesta manhã, por volta das 9h, e dois funcionários são mantidos reféns pelos presidiários. O complexo, que tem capacidade para 1.664 presos, hoje abriga 1.970.

Em SP: Após 4h, termina rebelião em unidade da Fundação Casa e reféns são liberados

Léo Fontes / O Tempo/ Futura Press
Gabinete de crise foi formado em frente à penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG)

Segundo a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), uma professora e um agente penitenciário foram rendidos em uma sala de aula dentro da unidade. O presídio é o mesmo onde estão o goleiro Bruno Fernandes, Macarrão e Bola, que respondem pela morte de Eliza Samudio. A Suapi informou que o motim não foi no pavilhão deles. 

Agentes do Comando de Operações Especiais da Suapi (COPE) isolaram o pavilhão 1, onde começou o tumulto. Por volta de 12h30, o Grupo de Ações Táticas da Polícia Militar (Gate) chegou ao local, para dar apoio na negociação da libertação dos reféns.

Um gabinete de crise foi montado no local, com a presença de autoridades da Suapi, Polícia Militar e Polícia Civil. Ainda segundo o órgão, o líder o do motim foi identificado como Daniel Augusto Cypriano, de 29 anos, conhecido pelos apelidos "Carioca" e “Snap". Ele tem seis condenações: cinco por roubo e um por homicídio.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas