Quadrilha invade hospital e executa irmãos em Minas Gerais

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Jovem de 21 anos, que deu entrada em hospital com sinais de tortura, foi executado com tiros na cabeça. O irmão dele, de 18 anos, que o acompanhava no quarto, também foi morto

Agência Estado

A polícia de Itaúna, em Minas Gerais, investiga um duplo homicídio ocorrido neste sábado (9) no Hospital Manoel Gonçalves. Uma quadrilha invadiu o local e obrigou funcionários a levá-los a um quarto, no terceiro andar, onde um paciente de 21 anos e seu irmão de 18 anos foram executados. O rapaz internado havia sido localizado horas antes amarrado, amordaçado e com vários ferimentos que indicavam ter sido torturado.

Leia também: Cinco assassinatos no carnaval na região metropolitana de Belo Horizonte

O hospital não vai se pronunciar sobre o caso, mas policiais contaram que eram cinco homens armados e encapuzados. O grupo chegou em um carro e uma moto, entrou pelos fundos do hospital e gritou que queriam ir ao quarto do jovem, que após ser socorrido com ferimentos de bala, cortes e até queimaduras, não corria risco de morte. Ele estava acompanhado de um irmão, que tentou correr ao ver a quadrilha e levou um tiro no peito. Em seguida os assassinos foram até a cama e fizeram vários disparos contra o paciente, quase todos atingindo a cabeça.

O jovem havia sido encontrado na avenida Chico Morais, na região do Vale Verde, afastada do centro. Ele foi socorrido por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e seu irmão havia chegado para acompanhá-lo pouco tempo antes da invasão do hospital.

O paciente tinha passagens policiais por porte de arma, tráfico de drogas e era suspeito de ter matado uma pessoa há dez dias. Por isso, a polícia não descarta o crime estar relacionado à vingança ou mesmo a disputa envolvendo o tráfico de drogas na região. Até a tarde deste domingo os assassinos continuavam foragidos.

Leia tudo sobre: assassinatoitaúnahospital

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas