Polícia pedirá prisão de suspeito de atear fogo em mulher em Minas Gerais

Selma Lúcia Sales teve 95% do corpo queimado na segunda-feira e não resistiu aos ferimentos

AE |

selo

A Polícia Civil de Minas Gerais vai pedir a prisão preventiva do apontador de jogo do bicho Giovane de Souza Lanna, principal suspeito de ter ateado fogo à própria companheira , que morreu no fim da noite de terça-feira. Selma Lúcia Sales, de 53 anos, teve 95% do corpo queimado com auxílio de gasolina e não resistiu aos ferimentos.

O caso: Homem é acusado de atear fogo na namorada em Minas Gerais

Ela estava internada no Hospital de Pronto-Socorro João 23 (HPS), em Belo Horizonte, desde a noite anterior, quando teve o corpo incendiado após uma discussão com o companheiro em um ponto de ônibus no centro da capital. Lanna fugiu após o crime e ainda não foi encontrado. Segundo a polícia, há imagens de câmeras de segurança mostrando ele comprando o combustível que usou para atear fogo na vítima.

Selma foi a segunda mulher que morreu após ter o corpo queimado no centro da cidade em menos de uma semana. No sábado (26), Ermelinda Vicente, de 33, que também estava internada no HPS, morreu com queimaduras em 80% do corpo. Ermelinda era moradora de rua e foi vítima de um grupo ligado ao tráfico de drogas em uma favela da capital. A polícia acredita que o crime tenha ligação com dívida de drogas. Seis pessoas, incluindo um adolescente de 17 anos, foram capturadas ainda na sexta-feira (25), logo após o crime, registrado por câmeras de segurança do centro da capital mineira.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG