No 2º dia de greve dos metroviários, trânsito piora em Belo Horizonte

O metrô funcionou nos horários de pico, mas apenas 45% da população utilizou o serviço; paralisação é por reajuste salarial

Denise Motta, iG Minas Gerais |

AE
Greve dos metroviários em BH lota ônibus da cidade
O trânsito de Belo Horizonte ficou complicado nesta terça-feira (15), no segundo dia de greve parcial dos metroviários. Conforme informações da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), menos da metade dos usuários frequentes do metrô utilizou o meio de transporte no horário de pico, pela manhã, de 5h20 às 8h30.

Metroviários fazem greve em cinco capitais brasileiras

"A CBTU-METRÔ BH registrou a movimentação de cerca 28 mil passageiros transportados, entre 5h20 e 8h30, considerando a apuração parcial da movimentação de passageiros na manhã desta terça-feira (15), primeiro dia de funcionamento em escala mínima dos metroviários. O número equivale a cerca de 45% da demanda usual registrada nos dias úteis", informou por meio de nota a assessoria de imprensa da CBTU.

O professor Robson Santos, 60, contou ao iG que o trânsito estava mais intenso que o habitual. "Demorei meia hora para percorrer um trecho de 600 metros, depois do trabalho.", afirmou ele, que mora na região da Pampulha, mas teve problemas com o trânsito da região central. "Minha mulher grávida me disse que teve vontade de sair do carro e chorar."

Saiba mais: Greve dos metroviários gera prejuízo de R$ 4 milhões a lojistas de Belo Horizonte

O sistema de metrô na capital mineira operou com 21 trens, mantendo o intervalo de 4 a 7 minutos, no pico. A operação normal em horários de pico, pela manhã e no final da tarde (17h às 19h30), ocorre graças a uma decisão liminar do Tribunal Regional do Trabalho e acordo feito durante audiência na segunda, primeiro dia da greve.

"A liminar assegura a prestação do serviço e prevê o funcionamento das estações e a circulação de todos os trens, no horário de 5h20 às 8h30 e de 17h às 19h30, (nos dias úteis), e de 5h30 às 9h, nos sábados, sob pena de multa diária no valor de R$ 30 mil, a cargo do Sindicato", informou a CBTU. Uma nova audiência para tentar um acordo entre a CBTU e a categoria foi marcada para a próxima segunda-feira (21). Os metroviários reivindicam melhoria salarial.

Na tentativa de contornar a ausência do metrô, a companhia de trânsito de Belo Horizonte, BHTrans, criou um esquema especial. Confira:

Linhas alternativas:

Estação Vilarinho - Linha 61: Está parando para oferecer atendimento aos usuários do transporte coletivo no Ponto de Embarque e Desembarque (PED) da Av. Vilarinho com Rua Macieiras (Aquário). Já a Linha 60 está operando com viagens extras, de acordo com a demanda de usuários, e ainda, de forma operacional, o agente que estiver no Ponto de Controle (PC) mandará veículos vazios para o Ponto de Embarque e Desembarque (PED) da Av. Vilarinho com Rua das Macieiras para reforçar atendimento aos usuários do transporte.

Estação São Gabriel - Está em funcionamento um serviço especial para a frota da linha 80, no Setor Oeste da estação, com o reforço de 12 (doze) veículos. A operação será realizada por tempo indeterminado.

Linhas Metropolitanas: A Secretaria Estadual de Transportes e Obras Públicas também disponibilizou duas novas linhas que já estão em operação no trecho, são elas: E019 (Estação Eldorado/Centro de BH) e E001 (Estação Vilarinho/Centro de BH).

    Leia tudo sobre: greve metroviáriosbelo horizontetrânsito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG