Cidade mineira recria casa onde Pelé nasceu

Berço do jogador ficava no quarto dos pais e tinha bola de espuma para distrai-lo; móveis da casa em Três Corações são originais

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Arquivo pessoal
Pelé (esquerda) aos 3 anos e sei irmão Jair, um ano; foto de 1943
“Meus três corações quase saíram pela boca”, brincou Pelé em junho do ano passado, quando o Santos conquistou seu terceiro título da Copa Libertadores. A frase foi uma alusão à sua cidade natal, Três Corações, a 300 quilômetros de Belo Horizonte. E é nesta cidade onde uma homenagem ao rei e aos admiradores dele está sendo finalizada.

A prefeitura pretende inaugurar no segundo semestre a réplica da casa onde Pelé, literalmente, nasceu. Naquela época, início de 1940, período da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), ele era chamado de Dico.

Mais notícias de Minas Gerais

O apelido Pelé só surgiu em São Paulo, Estado no qual ele iniciou sua trajetória profissional de sucesso. O iG teve acesso exclusivo a detalhes e imagens do imóvel, em fase de acabamento e localizado no centro, na rua Edson Arantes do Nascimento, 1.000.

A casa de Pelé precisou ser reconstruída após tantos anos, mas há detalhes originais, como as jabuticabeiras do quintal, que serviam como diversão para o pequeno Pelé e como renda para a família.

De acordo com informações do diretor de Turismo de Três Corações, Fernando Ortiz, Dona Celeste e o Tio Jorge, mãe e tio de Pelé, vendiam jabuticabas em cestas de palha, utilizando uma lata de óleo para medir a quantidade.

“As árvores jabuticabeiras são as mesmas da época em que ele morou, na década de 1940. Também teremos objetos originais. Nossa intenção é tentar passar a ideia de que o Pelé saiu da cidade e a casa parou no tempo”, explica Ortiz, que trabalha há aproximadamente 18 anos do projeto de reconstrução da casa. “Ele nasceu lá (na casa), em 1940, graças a uma parteira, amiga da família. Na mesma casa nasceram a mãe, o tio Jorge eu irmão Jair (Zoca)”, conta o diretor de Turismo.

Um objeto que chama atenção é a réplica do berço do rei Pelé, em madeira maciça de lei, conhecida por sua resistência. Ele ficará no quarto dos pais: Dona Celeste e Seu Dondinho, João Ramos do Nascimento, já falecido. Com colchão de palha, a réplica do berço, modelo patente (de mola), contará com uma bola de espuma, do tamanho de uma laranja, brinquedo que distraía o bebê Pelé.

A cozinha com fogão a lenha, cenário de muitas histórias da família, e a oficina do avô de Pelé, para construir carroças e consertar máquinas de costura, também serão refeitas com móveis e peças de antiquários.A casa contará com um rádio antigo, onde serão transmitidos jogos de futebol, radionovelas e músicas da década de 1940.

Orçada em R$ 158 mil (recursos do Ministério do Turismo), o imóvel possui aproximadamente 170 metros quadrados, com quatro quartos ligados por uma sala comprida. No primeiro quarto moravam “Seu Jorge” e “Dona Georgina” avos do atleta; no segundo, os pais, Pelé e o irmão Jair; no terceiro, Tio Jorge (irmão de Celeste). O último quarto era de banho, onde ficava uma bacia utilizada por todos. Já o banheiro, uma fossa, era do lado de fora da casa. Tudo isso já foi refeito. O projeto está 80% pronto, informou a prefeitura.

Móveis de época

Para recriar a atmosfera dos primeiros anos de vida do rei, são levados em consideração detalhes históricos. A mãe de Pelé, Dona Celeste, e o tio, Seu Jorge, foram entrevistados há nove anos, para fornecer detalhes da casa. “Não existe nenhum registro fotográfico da casa original, apenas especulações. Por isso buscamos as informações com a família. O próprio Pelé não se lembra muito porque era pequeno. Os móveis são todos de época, com patentes, colchão de palha e capim; armários, arcas e cadeiras de época; pratos e canecas de ágate e panelas de ferro.”

O imóvel está pronto e detalhes finais estão sendo acertados. Uma das últimas etapas da recriação da casa de Pelé consiste na concepção de uma atmosfera que remeta ao ano de 1944. O trabalho será feito por cenógrafos. Pelé morou na cidade até 1943, passou por São Lourenço, onde nasceu a irmã Maria Lúcia. Em 1945, mudou-se para Bauru, onde, aos 11 anos, em 1951, começou a jogar em um time infantojuvenil.

Em Minas Gerais, homicídios crescem e investimentos em segurança caem

O prefeito de Três Corações, Fausto Mesquita Ximenes, pretende colocar a cidade na rota da Copa do Mundo de 2014, com a inauguração da Casa de Pelé. Conforme informações da prefeitura, os quartos devem ser isolados com cordas, mas haverá interação do visitante com algumas peças e objetos do local. Ainda não estão definidos detalhes sobre a visitação como cobrança de entradas e valores.

A inauguração está sendo cogitada para 23 de setembro, aniversário de 128 anos da cidade, mas ainda é necessário confirmação do principal convidado: o Pelé. De acordo com o diretor de Turismo de Três Corações, a emoção de reviver os primeiros anos de vida do ídolo do Santos será especial não apenas para fãs ou admiradores do atleta.

Apresentado ao projeto, em 2010, Pelé esboçou um sorriso e repetiu por algumas vezes, conversando consigo mesmo e apontando para o plano que, depois de tantos anos, saiu do papel: “Eu nasci aqui”.

    Leia tudo sobre: casa pelétrês coraçõesrecriação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG