Preso liberta refém após mais de 24 horas em Minas Gerais

Mulher, mãe de outro preso, foi mantida refém dentro de presídio em Montes Claros; penitenciária de Lavras registrou motim

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Google Maps
Montes Claros e Lavras em relação a Belo Horizonte, capital de Minas Gerais
A mulher quer era mantida refém por um detento do Presídio Regional de Montes Claro s foi libertada no início da tarde desta segunda-feira (13) após mais de 24 horas de cárcere privado. Ninguém ficou ferido.

O caso teve início quando o preso Pedro Francisco Vieira rendeu um agente penitenciário com uma arma artesanal, por volta de 12h de domingo. Vieira escapou pelos corredores da unidade prisional e rendeu uma mulher que estava lá para visitar o filho.

Vieira só concordou em libertar a refém depois de conversar com a mãe e uma irmã, que moram na Bahia. Além disso, o preso exigiu a presença da imprensa e garantia de vida.

Leia mais sobre Minas Gerais

“A liberação ocorreu depois que a Polícia Militar, em parceria com funcionários da unidade prisional, conseguiu contato com a irmã e a mãe do detento Pedro Francisco Vieira. Após conversar com as familiares pelo telefone, no viva voz, ele libertou a refém, que foi imediatamente levada para atendimento médico por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU)”, informou em nota a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).

Condenado por estupro e assassinato, Pedro Francisco Vieira será transferido para outra unidade prisional de Minas Gerais.

O presídio regional da cidade está superlotado. Projetado para atender menos de 600 presos, o local já possui cerca de 900.

Motim

Também no domingo foi registrado um início de motim no presídio de Lavras, na região Sul de Minas Gerais. A cidade fica a 237 quilômetros da capital mineira e a unidade prisional é reconhecida pela superlotação .

O princípio de rebelião em Lavras começou por volta de 22h de domingo e só foi controlado depois de cinco horas. “Os agentes penitenciários foram obrigados a usar armamento não letal para contenção, e nove presos foram conduzidos ao Pronto Atendimento com ferimentos leves nas pernas, retornando à unidade após o atendimento”, informou a assessoria de imprensa da Seds, em nota.

    Leia tudo sobre: presídiorefém

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG