México quer aproximação do Brasil para menor dependência dos EUA

BRASÍLIA (Reuters) - Brasil e México decidiram nesta segunda-feira intensificar as relações comerciais bilaterais, o que poderá reduzir a dependência da economia mexicana do intercâmbio com os Estados Unidos. O tema foi tratado entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Felipe Calderón, durante a visita do presidente mexicano à capital brasileira.

Reuters |

"Essa crise (financeira global) demonstrou que, quanto mais nós diversificarmos a nossa balança comercial e interagirmos com outros países, menos dependente nós ficaremos de uma única economia", afirmou Lula durante declaração conjunta dos dois presidentes à imprensa.

Em sua resposta, Calderón concordou.

"A dependência fundamental da economia norte-americana, por exemplo, também explica porque o México foi tão afetado nessa crise global, que teve seu epicentro precisamente na economia dos Estados Unidos", comentou.

"Aí vem a intenção de diversificar e também a intenção de intensificar as relações entre México e Brasil."

Os dois presidentes assinaram acordos de cooperação nas áreas de ciência, tecnologia e entre agências de fomento ao comércio exterior. Disseram também serem favoráveis a mais trocas de experiências entre as suas estatais do setor de petróleo, Petrobras e Pemex.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG