Metade dos casos de aspiração de objetos é entre menores de 3 anos

Casos de aspiração de corpos estranhos - introdução de qualquer material que não pertença à via respiratória do corpo humano - acontecem em 90% das vezes em crianças menores de sete anos. Mais de 50% dos casos são entre menores de três anos, que aspiram grãos como milho, amendoim, feijão, ou até materiais escolares, metais e plásticos.

Agência Estado |

O alerta é de Viviane Rossi Figueiredo, broncoscopista, membro do Departamento de Endoscopia Respiratória da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, por meio de sua assessoria.

Quando um objeto é aspirado, fica preso nas vias aéreas e pode levar a uma obstrução total do ar em sua passagem para chegar aos pulmões. A obstrução parcial pode causar dor de garganta, dificuldade de falar, chiado no peito e tosse. No caso de obstrução total, se não for identificada rapidamente pode levar a parada respiratória e à morte.

Em adultos, esse tipo de acidente acontece principalmente com pessoas com mais de 50 anos. Muitas vezes, está relacionado a uso de próteses dentárias, abuso de álcool e conseqüências de traumas. Há casos também de mania de levar objetos à boca, hábito que deve ser evitado.

Viviane orienta, para diminuir os riscos no caso de aspiração, que os pais ensinem a criança a mastigar lentamente os alimentos, e também a não se distrair, conversar, correr ou brincar enquanto come. Servir alimentos apropriados à idade e cortá-los em pedaços pequenos também ajudam a evitar que ela engasgue.

A médica indica também para manter objetos pequenos, como tampas de canetas e peças pequenas de brinquedos fora do alcance das crianças. Outra orientação é comprar brinquedos que possuam o selo da Abrinq, e verificar se a indicação de faixa etária condiz com a criança terá o objeto.

Primeiros Socorros

Em situações de aspiração de objetos, a melhor medida, segundo a especialista, é levar a vítima imediatamente a um pronto-socorro. Um primeiro atendimento em casos de parada cardiorrespiratória pode ser feito por pessoas habilitadas para isso. Em casos de extrema emergência, os médicos indicam algumas ações como dar tapas nas costas para tentar fazer com que a vítima expila o corpo estranho.

Outro procedimento de emergência é abraçar a pessoa engasgada por trás, com os braços em volta da barriga, pressionando o abdome para dentro e para cima. A ação pode empurrar o diafragma em direção aos pulmões, ajudando a pressionar para fora o corpo estranho.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG