Meta da Sabesp é universalizar coleta na Grande SP

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) tem como meta universalizar a coleta e o tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo até 2018. Para tanto, prepara a fase 3 do Projeto Tietê.

Agência Estado |

Hoje, técnicos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) estarão em São Paulo para analisar o programa e dar o aval para um empréstimo de US$ 800 milhões, escalonado até 2014. Outros US$ 200 milhões ficarão como contrapartida do governo do Estado.

Um terço da poluição do Rio Tietê tem como origem o lixo jogado nas ruas, de acordo com a Sabesp. A meta do governo é que 100% da população teria todo o esgoto coletado e tratado no fim da próxima década. Nas duas primeiras etapas do Projeto Tietê, iniciado em 1992, foram eliminados 2.250 pontos de extravasamento nos rios e córregos, segundo o assistente-executivo da Diretoria de Tecnologia, Empreendimento e Meio Ambiente, Antonio César Costa e Silva.

Nessas duas fases passaram a ser recolhidos os dejetos de 1,8 milhão de pessoas e efetivamente tratados os resíduos de 1,6 milhão. Desde o início do projeto, já houve redução de 120 quilômetros na mancha de esgotos do Tietê. “Na terceira etapa, que começará nos próximos meses, mais 2.500 pontos serão conectados à rede”, afirma Silva. A expectativa é atender mais 1,5 milhão de habitantes com coleta e 3 milhões com tratamento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG