Mesmo com reajuste, policiais civis prometem continuar onda de protestos

SÃO PAULO - A aprovação dos projetos de lei encaminhados pelo governador José Serra à Assembléia Legislativa passa a garantir reajuste salarial à Polícia Civil e estabelece mudanças nas carreira de delegado, mas a decisão não deve mudar os rumos da greve de policiais civis, iniciada no dia 16 de setembro. É o que garante José Leal, presidente do Sindicato de Delegados da Polícia Civil de São Paulo, que anunciou um protesto na próxima semana que inclui o fechamento de delegacias em 22 estados na segunda-feira (17).

Filipe Ferrato |

A proposta aprovada na tarde desta quarta-feira pelos deputados deve adiantar a segunda parcela do reajuste salarial da categoria de novembro de 2009 para agosto e chegou a ser discutida durante uma sessão extraordinária realizada na noite de ontem. O líder do governo na Assembléia, deputado Barros Munhoz (PSDB), alcançou o entendimento entre a base governista e os representantes dos policiais civis e conseguiu aprovar, em 6,5%, o índice desse reajuste. A categoria reivindicava 12%.

O clima da votação, porém, foi tenso. Grevistas acompanharam de perto o posicionamento dos parlamentares e alguns chegaram a anotar os nomes daqueles que votaram favorável aos projetos. No início da noite, o presidente do Sindicato dos Delegados, José Leal, comentou os resultados e garantiu que a greve continua. "Acertamos com 71 deputados que haverá uma recepção maior por parte governo estadual para resolver a questão da greve. Foi um acordo olho no olho. Não foi escrito, não foi assinado, mas estou confiante que haverá uma conversa nesse sentido. Se não podem abrir uma porta, que abram uma janela", comentou. Leal se mostrou parcialmente satisfeito com a decisão desta tarde, mas reforçou que, independente de todas as tratativas, os policiais civis precisam continuar mostrando a situação em que vivem hoje. "No próximo dia 17 vamos fazer uma paralisação em 22 estados, fechando as portas das delegacias das 8h até o meio-dia", revelou o delegado, sem citar quais distritos irão aderir ao movimento.

Outro protesto de policiais estava marcado para o próximo sábado (15), desta vez organizado pelo Sindicato dos Investigadores da Polícía Civil de São Paulo, no Vale do Anhangabaú, centro da cidade. Os grevistas prometeram levar um caixão para ilustrar o velório e o enterro do governador José Serra durante todo o fim de semana.

    Leia tudo sobre: grevepolicia civil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG