A atriz americana Meryl Streep recebeu, nesta sexta-feira, o Prêmio Donostia, do Festival de Cinema de San Sebastián, por toda sua carreira.

"Posso explicar sua magia em cinco elementos", resumiu o presidente do júri do Festival, Jonathan Demme, amigo da atriz, acrescentando que ela é "uma figura impressionante, uma mente brilhante, uma grande imaginação, uma profunda valentia e um enorme coração".

Meryl Streep é "uma das melhores atrizes da história, um fenômeno artístico e uma referência para todos. É completa, doce e camaleônica, e tem uma singular sensibilidade", elogiou o ator espanhol Eduardo Noriega, que lhe entregou o prêmio ajoelhado.

"Tenho certeza de que meus pais, que estão no céu, estão de acordo com tudo o que disseram", respondeu, rindo, a atriz, de 59 anos, que estreou aos 18, em "Julia".

"Estou muito honrada de receber esse prêmio. Várias pessoas me falaram muito bem desse festival", retribuiu.

Streep, que disse se sentir "culpada" por receber tantos prêmios - foram 63 em toda sua vida, de 69 candidaturas -, ressaltou que "cada personagem resulta do trabalho de um montão de gente", motivo pelo qual dedicou o Donostia a seus companheiros do mundo do cinema.

"Tenho orgulho de ser atriz, preciso disso como comer. Isso nos permite unir mundos, países e almas", afirmou, completando: "obrigada por me agüentarem todos esses anos".

Na entrevista coletiva antes da entrega do prêmio, a atriz garantiu que nunca escolheu "filmes por estratégia", mas "pensando em sua utilidade no mundo".

"Os atores traduzem a experiência de pessoas que viveram centenas de anos antes, e eu acredito que isso seja valioso", afirmou.

A atriz, ganhadora de dois Oscars por "Kramer vs Kramer" (1979) e "A escolha de Sofia" (1982), atualmente em cartaz com o divertido musical "Mamma Mia!", disse que não descarta dirigir, quando sua filha caçula, de 17, sair de casa.

Segundo ela, sua longa e variada carreira a leva a pensar que "há cada vez mais mulheres trabalhando nessa indústria e que estão dispostas a investir em certos temas".

"Há histórias interessantes para pessoas de todas as idades", respondeu essa mãe de quatro filhos ao jornalista que lhe perguntou se era mais difícil encontrar papéis hoje, do que quando era mais nova.

"Sempre que penso em me aposentar, continuo a receber propostas", completou.

A premiada atriz deixou claro que é favorável ao candidato democrata, na eleição presidencial americana, com um grito de alívio quando lhe perguntaram "e se Barack Obama ganhasse?".

Streep acaba de rodar "Mother superior", no qual interpreta uma freira, e "Julie and Julia", de Nora Ephron, sobre uma professora e uma aluna de culinária.

Ela é casada com o artista Don Gummer.

vg/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.