Mergulhador atingido por arpão terá alta em 10 dias

Uma fisgada, uma forte queimação no rosto e um grande medo de morrer. Foi o que sentiu o pintor de carros e mergulhador Emerson Abreu, de 36 anos, quando teve o crânio perfurado pelo próprio arpão quando fazia pesca submarina no sábado, na Ilha do Governador, zona norte do Rio.

Agência Estado |

Ele segue internado no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna (Baixada Fluminense), onde passou por apenas uma cirurgia, que durou uma hora e meia.

A parte externa do arpão foi cortada para que ele pudesse entrar na tomografia. Dos 70 cm de haste, 25% estava dentro do crânio. Segundo o diretor da unidade, Manoel Moreira, a evolução do paciente é satisfatória e, até agora, não há sequelas. “Por milímetros” o arpão não atingiu o globo ocular. Ele está fazendo uso de antibióticos para evitar infecções e deve receber alta em até dez dias. Segundo o médico, deve levar uma vida normal.

O mergulhador contou à imprensa que na hora do acidente pensou em tirar a flecha da cabeça. "Mas o pessoal que estava me dando assistência orientou a não fazer isso. Agora, consigo fazer sozinho todos os movimentos." Abreu agradeceu à direção do hospital (Adão Pereira Nunes) e disse que "a sensação é pensar só em Deus." Para o futuro, ele não pensa mais em pescar. "Desde os meus 15 anos eu pesco. Minha família toda é de pescadores. É horrível ver sua família desesperada. Pescaria nunca mais." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG