Mercado de música ao vivo na internet vira alternativa a shows e DVDs

MADRI ¿ Madonna recorreu à Internet para mostrar ao mundo de forma simultânea parte de sua nova turnê, enquanto, em pleno auge dos festivais de verão, o iTunes já conta com seu próprio evento. O mercado da música ao vivo se tornou o último recurso de sobrevivência para uma indústria incapaz de controlar a força da internet, que parece ter vencido a batalha com o CD e que agora também oferece alternativas aos shows e ao DVD musical, com um leque de possibilidades cada vez maior e mias acessível.

EFE |

Sempre pioneiro, o portal de venda de música da Apple organiza desde o último verão um festival que somente este serviço poderia oferecer. Nele, muitos artistas atuam durante julho no Koko Club, situado no bairro londrino de Candem, e cada participação será colocada à venda em sua loja online. A entrada para o festival é gratuita - por meio de convites postos em concurso - e nele aparecem nomes conhecidos como os de Feeder, Death Cab for Cutie e James Blunt.

Desde setembro de 2006, o portal de serviços online da Microsoft, MSN, inclui entre seus conteúdos um canal de shows ao vivo em uma aliança exclusiva com Control Room, a companhia líder em retransmissões ao vivo pela grande rede.

O projeto foi inaugurado por Rod Stewart e um dos mais respeitados jovens valores da música americana, John Mayer. Outros artistas seguiram o exemplo, como Crowded House, Robyn, Tokio Hotel, Amy Winehouse, Maroon 5 e Avril Lavigne. Nas próximas datas serão Gnarls Barkley e Alanis Morissette os que irão se apresentar através do MSN.

Em maio, foram os admiradores de Madonna que puderam ver ao vivo a apresentação oficial do último disco da cantora, "Hard Candy", em um show em Nova York no qual ela interpretava pela primeira vez suas novas canções ao vivo.

Foi ótimo para os fãs da diva, ansiosos para conhecer as novas coreografias que, graças a internet, a cantora pôde apresentar perante seus admiradores de todo o mundo antes de percorrer o planeta com seu "Sticky & Sweet Tour".

Os britânicos do Radiohead, especialistas em utilizar a internet para divulgar suas músicas, também apresentaram ao vivo seu mais recente álbum, "In rainbows", em show de uma hora de duração que pôde ser acompanhado em 31 de dezembro de 2007 pela página www.radiohead.tv.

Com ele, antecipavam a chegada às lojas deste trabalho, com o qual causaram grande polêmica ao comercializá-lo meses antes pela Internet ao preço que cada usuário estimasse ser oportuno, evitando o papel das gravadoras, um golpe de misericórdia para a crise vivida pela EMI.

E além dos amplos, mas limitados, recursos do YouTube, o site Fabchannel.com se transformou em um dos maiores arquivos online de música ao vivo. A página tem 900 gravações exclusivas de longa duração de uma extensa seleção de bandas de rock como Bloc Party e MGMT, os eletrônicos Vive la fête e os cantores Patrick Wolf, Paul Weller, Damien Rice e Sondre Lerche.

Shows variados, gratuitos em sua maioria e sem necessidade de sair de casa. É o futuro da música com o qual as produtoras e distribuidoras já têm que competir.

    Leia tudo sobre: internetmúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG