Mercadante se recusa a fazer indicações para Conselho

O líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP), recebeu reivindicações do PRB e do PMDB para indicar os senadores Roberto Cavalcanti (PRB-PB) e Romero Jucá (PMDB-RR) para ocuparem as duas vagas da base aliada, que estão em aberto no Conselho de Ética. Mercadante disse, entretanto, que não aceitará esse tipo de acordo e que, se for obrigado a indicar os dois senadores, colocará o cargo de líder do PT à disposição.

Agência Estado |

"Eu me recuso a fazer esse tipo de coisa.
Se for para fazer, que seja com outro líder e eu coloco meu cargo à disposição", disse Mercadante, por meio de sua assessoria de imprensa.

A base de apoio ao governo tem direito a quatro vagas no Conselho de Ética, mas como os senadores Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) e João Ribeiro (PR-TO) renunciaram às vagas e Mercadante não nomeou novos senadores para o Conselho, quem votará pela base serão os suplentes Delcídio Amaral (PT-MS) e Ideli Salvatti (PT-SC).

O pedido para incluir Cavalcanti no Conselho de Ética foi encaminhado em ofício pela liderança do partido. No caso de Jucá, o pedido foi feito em conversa reservada. Se Mercadante aceitasse as indicações, os dois senadores poderiam votar pelo arquivamento das denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Amanhã, às 14h, o Conselho de Ética do Senado vai se reunir para analisar os recursos que foram apresentados contra o arquivamento de todas as ações que tramitavam no colegiado contra José Sarney. Também será analisado recurso do PMDB contrário ao arquivamento de ação contra o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM). O Conselho de Ética é formado por 16 senadores, sendo cinco da oposição, quatro do PMDB, três do PT, um do PCdoB, dois do PTB e um do PR.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG