Mercadante pede para Meirelles voltar à vida política

O líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP), disse hoje ao presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, que ele deveria se filiar a algum partido político sem necessariamente deixar a instituição. Segundo o senador, a volta de Meirelles à vida política seria uma grande contribuição, lembrando que o presidente do BC foi eleito deputado federal por Goiás e renunciou ao cargo para comandar a instituição.

Agência Estado |

"O senhor deveria se filiar e voltar à vida pública", disse a Meirelles. O coro foi engrossado pelo senador Roberto Cavalcanti (PRB-PB), que afirmou: "O senhor deveria tirar o passaporte (a filiação partidária) e depois decidir se vai viajar (candidatar-se)." Meirelles agradeceu os comentários.

A senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO) também defendeu a volta de Meirelles à política, mais especificamente em Goiás. "Desejo Vossa Excelência à frente da disputa em Goiás". Diante das defesas ao retorno de Meirelles à política, o senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), que preside a CAE, brincou: "Desse jeito Vossa Excelência sairá daqui lançado (candidato)." O senador também declarou que Meirelles foi "convocado" a assumir uma responsabilidade política. "Vossa Excelência foi consagrado politicamente."

Comparação

Mercadante comparou o quadro político de hoje no Senado ao momento de turbulência vivido no mercado com a crise financeira internacional. Na audiência pública da CAE Mercadante mencionou a crise ao pedir desculpas a Henrique Meirelles pelo baixo comparecimento de senadores à reunião.

O senador petista atribuiu esse baixo comparecimento ao envolvimento dos senadores no processo de administração da crise política. Ele disse a Meirelles que, enquanto a crise financeira está se estabilizando, a instabilidade política no Senado "tende a se estender". Mercadante afirmou que, quando a taxa de juros básicos da economia cresce, o interesse dos parlamentares por audiências como a de hoje é maior. E agora que a taxa está caindo, diminui esse interesse, avaliou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG