Mercadante diz que disputará vaga no Senado em 2010

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) afirmou hoje que será candidato ao Senado Federal nas eleições de 2010. Sou candidato a senador.

Agência Estado |

Isso já está mais ou menos pacificado no partido", disse o petista, em entrevista à TV Estadão, do portal estadao.com.br . Perguntado sobre a possibilidade de ser candidato do PT ao governo paulista, Mercadante declarou apenas que coloca o seu nome à disposição do partido, mas citou o ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci como uma das possibilidades. "Em 1994, queria ser deputado federal e terminei como vice do Lula. Demonstrei que tenho compromisso", respondeu.

Entre os nomes do partido para a sucessão do governador José Serra (PSDB), o senador lembrou o do ex-ministro. "O Palocci tem todas as condições para ser o nosso candidato ao governo", disse Mercadante, que refutou a possibilidade de a ex-prefeita da capital paulista Marta Suplicy se candidatar à vaga. "A Marta não disputará contra Palocci, ela já disse isso publicamente", afirmou.

O petista disse não acreditar que o processo por quebra de sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa a que Palocci responde no Supremo Tribunal Federal (STF) possa prejudicar a imagem do ex-ministro durante uma campanha. "O Palocci foi um bom ministro da Fazenda. Se a decisão da Justiça lhe for favorável, ele sai fortalecido como candidato do PT ao governo."

Em conversa com Mercadante no começo do mês, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que Palocci é o nome de sua preferência ao governo paulista. Questionado pelo senador se o passado do ex-ministro prejudicaria a sua candidatura, o Lula disse que Palocci tem jogo de cintura e saberá sair das dificuldades. "Fosse assim, durante as denúncias do mensalão eu teria ficado trancado no Palácio da Alvorada", afirmou.

Sucessão em 2010

Mercadante também afirmou que o nome da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, já é consenso dentro do partido como candidata à sucessão de Lula. "O PT está unificado para a candidatura de Dilma. É uma etapa difícil, ainda mais para suceder o Lula, mas o partido está pacificado nessa questão", disse.

Em relação à presidência do partido, Mercadante defendeu o nome do chefe de gabinete do presidente da República, Gilberto Carvalho. "Eu e a maioria do partido temos a simpatia pelo nome de Gilberto Carvalho. Se ele disputar, acredito que formaremos uma chapa única."

Perguntado se a opinião contrária de Lula quanto à saída de Carvalho poderia atrapalhar a candidatura à presidência do partido, como indicou o presidente na semana passada, Mercadante respondeu: "O presidente está meio indeciso nessa questão. Mas acho que ele (Carvalho) disputará".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG