O líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP) disse esta noite que a retirada de pelo menos seis assinaturas, o que anularia o requerimento de criação da CPI da Petrobras, é possível, mas pouco provável. O senador disse que essa avaliação é pessoal e com base em sua experiência no Senado.

Mercadante disse estar particularmente preocupado com os efeitos da eventual CPI na imagem da empresa no mercado financeiro. "O Brasil não pode colocar uma companhia como a Petrobras nessa situação em um momento em que o mundo está defendendo as suas empresas", acrescentou.

Segundo o senador, estima-se que cerca de 5 mil empresas fizeram o mesmo tipo de mudança que a Petrobras em seu regime contábil, com base na mesma medida provisória que embasou a decisão da estatal, a de número 2.158, de 2001. Até por volta das 19 horas de hoje nenhuma das 32 assinaturas que constam do requerimento havia sido retirada, mas, segundo fonte que acompanha a negociação para o esvaziamento da CPI, as desistências só serão formalizadas se todas as seis assinaturas forem conseguidas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.