Tamanho do texto

Depois de render cinco funcionários da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), localizada no município do cabo de Santo Agostinho, no litoral Sul de Pernambuco, 28 internos da instituição fugiram do local na noite de ontem. De acordo com testemunhas, os jovens estavam armados com facas de fabricação artesanal e pelo menos duas armas de fogo.

Assustados, moradores da região contam que após a fuga viram alguns jovens entrando em matagais próximos.

A Polícia Militar foi acionada, mas até a manhã de hoje apenas dois internos foram recapturados. Um terceiro menor - que chegou durante a madrugada à casa da família - será entregue pelos pais. A Funase do Cabo, que tem capacidade para 116 internos, estava com 338 no momento da fuga. O presidente da Funase, Alberto Vinícius do Nascimento, confirmou a superlotação na unidade.

Esta é a segunda grande fuga na unidade em menos de dois anos. Em abril, em outra unidade da Funase, localizada no bairro de Santa Luzia, na Zona Oeste do Recife, seis internos fugiram após um grupo de homens armados invadirem o prédio. No dia 27 de novembro, a promotora Delane Barros, do Ministério Público de Pernambuco (MP-PE), denunciou a existência de maus tratos nas unidades da Funase. Na ocasião, a promotora afirmou que os menores "viviam em verdadeiros campos de concentração". O MP-PE informou que está acompanhando o caso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.