É grave o estado da moradora da cidade gaúcha de São Gabriel internada na semana passada com suspeita de estar com gripe suína, a Influenza A (H1N1). A menor, de 14 anos, respira com a ajuda de aparelhos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário de Santa Maria.

O resultado do exame que dirá se ela contraiu o vírus ainda não foi divulgado. O quadro da jovem foi um dos motivos que levaram o prefeito Rossano Dotto Gonçalves a decretar, ontem, situação de emergência no município.

O secretário de Saúde, Paulo Forgiarini, explicou que a situação é declarada quando eventos atípicos podem colocar a sociedade em risco e requerem medidas diferenciadas. No caso da gripe, segundo ele, o temor era de uma "contaminação maciça". Esse medo surgiu após a menor apresentar os sintomas da doença ao voltar da Argentina, onde passou o feriado de Corpus Christi. A garota viajou numa excursão. E a secretaria não faz ideia de quantos passageiros do ônibus mantiveram contato com ela e com outras pessoas. "Perdemos o controle desse acompanhamento".

O secretário defendeu a decisão da prefeitura, apesar da inexistência de casos confirmados até o momento. "Essa medida parece precipitada, mas não é. Não sabemos com o que estamos lidando". Hoje, 17 moradores com sintomas da gripe estão sendo monitorados em suas casas. "Essas pessoas só são internadas em caso de complicações", ressaltou ele.

As 39 escolas públicas e as 8 creches de São Gabriel amanheceram fechadas hoje. Os colégios particulares também suspenderam as aulas. Está vedada a realização de festivais, boates, shows, bailes e cultos. Forgiarini afirmou que as pessoas estão sendo orientadas a procurar as unidades de saúde apenas em casos graves, para evitar a aglomeração de pessoas em locais fechados. Os cerca de 60 mil habitantes da cidade, situada a 320 km de Porto Alegre, estão sendo avisados sobre a situação de emergência por meio de mensagens transmitidas em rádios, jornais e TV locais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.