Menino com agulhas pode ter sido vítima de magia negra

O suposto envolvimento do padrasto do menino de 2 anos que foi encontrado com mais de 40 agulhas dentro do corpo com rituais de um tipo de magia negra é a principal linha de investigação da delegacia de Ibotirama (BA) para tentar explicar como os objetos foram parar dentro do corpo da criança. Segundo o delegado Hélder Fernandes Santana, essa é uma possibilidade, mas ele espera ouvir mais familiares e vizinhos do menino antes de apontar suspeitas concretas.

Agência Estado |

O caso está sendo tratado pelos policiais como tentativa de homicídio e os depoimentos devem ser colhidos até o fim da semana.

A suspeita de que o menino teria sido vítima de rituais de magia negra surgiu depois que a mãe da criança, a doméstica Maria Souza Santos, disse que o atual marido "tinha envolvimento com uma mulher" que fazia rituais de quimbanda, também conhecida como macumba, tipo de magia negra relacionada a religiões de origem africana. O depoimento foi acompanhado por relato de que, na casa da família - onde moram o casal, seis filhos e a mãe de Maria -, vêm sendo encontrados artigos relacionados à quimbanda, como garrafas de cachaça.

"Em princípio, todos os que mantêm relacionamento próximo com o menino são suspeitos", explica Santana. Ele admite, porém, que o padrasto se torna o principal suspeito por estar desaparecido desde a manhã de ontem. "Todos os nossos policiais estão focados nesse caso, colhendo informações, para que possamos pensar melhor sobre as linhas de investigação."

O menino continua internado, em estado grave, no Hospital do Oeste, em Barreiras, extremo oeste baiano. Ele está consciente, conversa e reclama de dores. Os médicos que acompanham a recuperação da criança ainda não decidiram se vão retirar as agulhas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG