O Hospital Ana Neri, em Salvador, informou que o garoto de dois anos e sete meses que foi submetido a uma cirurgia para retirada de quatro agulhas, localizadas no coração e no pulmão, é tão boa que no início de noite a equipe médica irá se reunir para avaliar a possibilidade de submetê-lo a uma nova cirurgia ainda hoje ou amanhã, desta vez para retirada dos objetos localizados no abdômen. O menino teve várias agulhas introduzidos em seu corpo.

Uma boa parte delas está localizada na região abdominal. Segundo o médico Francisco Reis, existe uma agulha na bexiga e em algumas alças intestinais do aparelho digestivo que precisam ser removidas. O menino passará por uma terceira intervenção, na coluna, com data ainda não definida.

A primeira cirurgia foi considerada um sucesso pela equipe médica. O procedimento confirmou que os objetos retirados estavam mesmo provocando infecções no corpo do garoto, porque começavam a oxidar. A partir de então, os processos infecciosos cederam e ele agora se encontra com um quadro estável, sem febre e sem a necessidade de tomar medicação.

Ainda de acordo com o hospital, a criança respira sem a ajuda de aparelhos e se alimenta normalmente. A equipe reafirma que algumas agulhas permanecerão no corpo do menino. A preocupação no momento são apenas os objetos que podem impor riscos à vida dele.

O auxiliar de serviços gerais Roberto Carlos Magalhães, padrasto da criança, confessou ser o responsável por inserir os objetos no corpo do garoto durante supostos rituais de magia negra, informou a polícia. Magalhães, de 30 anos, chegou a ficar desaparecido depois de prestar um primeiro depoimento. Apontado como principal suspeito, ele foi localizado em um hospital do município.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.