PORTO ALEGRE ¿ A menina de 11 anos que teria sido violentada pelo pai adotivo no município de Iraí, norte do Estado do Rio Grande do Sul, deu à luz uma menina nesta quarta-feira. A filha nasceu de parto cesáreo, por volta das 11h, no Hospital Santo Antônio, na cidade de Tenente Portela.

Segundo o ginecologista e obstetra Cláudio José Furini, responsável pela operação, o bebê pesa 2,8 quilos e tem 45 centímetros. A mãe está se recuperando da cirurgia e o seu estado de saúde é muito bom, assim como o da filha. O bebê está sendo amamentado e as duas pacientes devem receber alta até o fim de semana, disse.

De acordo com o obstetra, a equipe médica optou pelo parto cesáreo devido ao porte físico da menina. O ginecologista informou ainda que o nascimento não foi prematuro, pois a gestação já havia completado oito meses e meio.

Abuso sexual

O pai adotivo da menina, um pedreiro de 51 anos, é suspeito de ter violentado a filha, de 11 . Segundo o titular da delegacia de Iraí, Antônio Maieron, o caso começou a ser investigado em dezembro do ano passado quando a mãe adotiva da menina, de 53 anos, levou a filha ao médico, desconfiada de que a criança estivesse grávida. A gestação foi confirmada pelos exames e o caso foi repassado para a polícia.

Ainda de acordo com o delegado, no mesmo mês em que a denúncia foi registrada, o pedreiro acusado pelo estupro fugiu de Iraí. Durante o depoimento, a garota de 11 anos contou que teve relações sexuais com o pai por três vezes desde julho do ano passado.

Em fevereiro deste ano, o pedreiro reapareceu na cidade e confessou ter tido relação sexual com a filha adotiva, mas disse que isso somente aconteceu porque a menina tomou a iniciativa. O pai da garota relatou que chegou em casa embriagado, ela estava sozinha e quando acordou estava ao lado da menina.

O pedreiro e a esposa se separaram depois que ela descobriu os abusos sexuais. A menina de 11 anos é sobrinha da mãe adotiva, que cuida da criança desde os seis meses de idade. Ela pegou a menina para criar porque a mãe biológica não tinha condições financeiras, no entanto, a adoção não foi registrada legalmente.

O pai adotivo teve a prisão preventiva solicitada pela polícia e está detido no Presídio Estadual de Iraí. Ele foi denunciado pelo crime de estupro. O suspeito se apresentou na última terça-feira e foi preso. Ele deverá aguardar o seu julgamento na cadeia, afirmou o delegado Antônio Maieron.

Veja também:

Leia mais sobre: abuso sexual

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.