O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, justificou hoje a decisão de não comparecer à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Grampos, afirmando que a Corte tem avaliado que não é conveniente que seus membros compareçam às CPIs. Ele afirmou que a atitude não representa nenhum desapreço para as comissões, mas disse que se trata de uma questão complexa do ponto de vista institucional e que poderia gerar uma série de equívocos, sem dizer quais seriam estes.

Ele afirmou o "apreço" que o STF tem pelas CPIs. "As CPIs só atuam hoje como elas atuam, com essa liberdade, porque o Supremo lhes garantiu essa possibilidade", disse. Mendes ironizou: "Eu vou ao Congresso toda semana quase, sou até confundido com parlamentar de vez em quando".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.