Mendes defende monitoramento eletrônico de presos

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, comentou hoje a decisão da Justiça do Distrito Federal que soltou o pedreiro Adimar Jesus da Silva. O que nós tivemos nesse episódio lamentável de Luziânia foi uma falta de estrutura de acompanhamento psicológico de pessoas com profundos distúrbios psicológicos, disse.

Agência Estado |

"Essas pessoas precisam de um tipo de acompanhamento. Por isso que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está recomendando o uso do monitoramento eletrônico para que se saiba onde essas pessoas estão", afirmou. Gilmar Mendes também disse que é necessário estruturar melhor a área. "A Justiça Criminal no Brasil está muito desestruturada", afirmou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG