O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, comentou hoje a decisão da Justiça do Distrito Federal que soltou o pedreiro Adimar Jesus da Silva. O que nós tivemos nesse episódio lamentável de Luziânia foi uma falta de estrutura de acompanhamento psicológico de pessoas com profundos distúrbios psicológicos, disse.

"Essas pessoas precisam de um tipo de acompanhamento. Por isso que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está recomendando o uso do monitoramento eletrônico para que se saiba onde essas pessoas estão", afirmou. Gilmar Mendes também disse que é necessário estruturar melhor a área. "A Justiça Criminal no Brasil está muito desestruturada", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.