Relatório preliminar diz que grampo não foi feito no Senado" / Relatório preliminar diz que grampo não foi feito no Senado" /

Mendes acredita que está grampeado desde 2007

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, disse à Polícia Federal, na noite desta segunda-feira, que suspeita estar grampeado desde maio do ano passado, época da operação Navalha. A informação foi repassada aos dois delegados que investigam se a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) é a responsável pela escuta clandestina que flagrou Mendes em conversa com o senador Demóstenes Torres (DEM-GO). http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/09/08/relatorio_preliminar_diz_que_grampo_nao_foi_feito_no_senado_1714969.html target=_blankRelatório preliminar diz que grampo não foi feito no Senado

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

A assessoria de imprensa do ministro disse que o depoimento à PF durou cerca de 30 minutos. Ao ler a transcrição do diálogo com Demóstenes, Mendes teria confirmado a existência do telefone. 

Quando os policiais perguntaram para o ministro se ele desconfiava que estava sendo grampeado, Mendes teria dito que à época da operação Navalha, após conversar sobre o inquérito com o procurador-geral da República, Luiz Fernando de Souza, uma jornalista teria lhe ligado, minutos depois, questionando aspectos específicos da conversa.

A operação Navalha da Polícia Federal foi a que desmontou um esquema de fraudes em licitações e obras públicas, supostamente chefiados pela construtora Gautama, do empresário Zuleido Veras. 

Crise dos grampos

A crise dos grampos emergiu com denúncia da revista "Veja" da semana passada, que acusou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) de ser responsável por grampear ministros do Supremo, da República e senadores.

Leia também:

Leia mais sobre: grampos

    Leia tudo sobre: grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG