Até 2016, as empresas que controlam estradas em São Paulo deverão executar várias obras de melhorias e ampliação das vias, segundo a Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp). Até mesmo as recém-privatizadas Ayrton Senna-Carvalho Pinto, Marechal Rondon, Dom Pedro I e Raposo Tavares deverão sofrer modificações, previstas em contrato, para diminuir os gargalos de congestionamento e melhorar o acesso às cidades.

O governo de São Paulo anunciou, na semana passada, um pacote de investimento, de R$ 1,15 bilhão, para recuperação e melhoria de rodovias e ligações entre as vias principais em todas as regiões do Estado, até mesmo na região metropolitana da capital. As obras deverão atingir 686 quilômetros de rodovias, hoje pontos de engarrafamentos e de perigo de acidentes. A previsão é de construir cerca de 370 novos acessos - 307 diretamente com a ação da Secretaria dos Transportes e 63 envolvidos nas concessões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.