Meirelles pede cuidado na análise de curto prazo

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, pediu nesta segunda-feira serenidade na análise dos movimentos econômicos e alertou sobre o perigo de se dar uma atenção exagerada a ajustes de curto prazo. Atitudes excessivamente agressivas do ponto de vista de sermos defensivos podem exacerbar problemas desnecessariamente, disse em palestra na Confederação Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea).

Reuters |

Ele acrescentou que, às vezes, "há movimentos importantes de curto prazo, como ajustes de estoques, que podem fazer com que se propague uma certa atitude na economia que também não é muito saudável".

À plateia formada principalmente por engenheiros, Meirelles lembrou que o governo está preparando medidas para a construção civil e disse que é preciso ser "um pouco paciente" e ter "um pouco de serenidade" para aguardar o desdobramento das ações já tomadas diante da crise financeira global.

Meirelles também informou que as vendas de dólares no mercado à vista chegaram a 14,3 bilhões de dólares desde que foram retomadas, com a piora da crise, até 29 de janeiro.

(Reportagem de Isabel Versiani)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG