BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, pediu nesta segunda-feira serenidade na análise dos movimentos econômicos e alertou sobre o perigo de se dar uma atenção exagerada a ajustes de curto prazo. Atitudes excessivamente agressivas do ponto de vista de sermos defensivos podem exacerbar problemas desnecessariamente, disse em palestra na Confederação Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea).

Ele acrescentou que, às vezes, "há movimentos importantes de curto prazo, como ajustes de estoques, que podem fazer com que se propague uma certa atitude na economia que também não é muito saudável".

À plateia formada principalmente por engenheiros, Meirelles lembrou que o governo está preparando medidas para a construção civil e disse que é preciso ser "um pouco paciente" e ter "um pouco de serenidade" para aguardar o desdobramento das ações já tomadas diante da crise financeira global.

Meirelles também informou que as vendas de dólares no mercado à vista chegaram a 14,3 bilhões de dólares desde que foram retomadas, com a piora da crise, até 29 de janeiro.

(Reportagem de Isabel Versiani)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.