RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente do Banco Central já descartou a possibilidade de disputar uma cadeira no Senado por Goiás, disse nesta sexta-feira o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Ele (Meirelles) não vai ser candidato a governador e já me disse que não será candidato ao Senado, disse o ministro a jornalistas após evento com prefeitos no Rio.

Quando repórteres insistiram se Meirelles não disputaria mesmo o Senado, Paulo Bernardo disse: "acho que não, foi o que ele disse".

Na quinta-feira, Meirelles divulgou nota anunciando que abria mão da candidatura ao governo do Estado de Goiás e reafirmando que só informará seu futuro profissional no final de março.

"O Meirelles esteve com o presidente (Lula) e comunicou que não vai ser candidato ao governo (de Goiás). Se na verdade você olhar o que o presidente Lula gostaria, era que o Meirelles ficasse até o final do ano", relatou Paulo Bernardo.

Em entrevista ao jornal O Popular, de Goiânia, publicada nesta sexta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçou sua posição.

"Ele (Meirelles) está comigo desde o primeiro dia do primeiro mandato e, se depender da minha vontade, continua até o último dia desse segundo mandato", disse Lula.

"Seu desempenho à frente do Banco Central, merecedor de todos os elogios, tem sido fundamental para o processo de controle da inflação, mas continuar no posto atual, ou se descompatibilizar para disputar algum cargo político, é uma decisão que cabe a ele tomar", acrescentou.

Paulo Bernardo admitiu que "pode ser que até, eventualmente, ele saia candidato". Questionado sobre a hipótese de Meirelles compor como candidato a vice a chapa da ministra Dilma Rousseff, disse que isso "depende do partido".

"Mas com certeza seria um bom nome. É difícil ficar dando palpite porque quem decide, em última instância é o PMDB."

(Por Rodrigo Viga Gaier; Texto de Alexandre Caverni)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.