Meirelles diz a Lula que responde sobre futuro na quarta-feira

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, afirmou nesta terça-feira que vai decidir em 24 horas se deixa a instituição ou não. Segundo Meirelles, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu que ele ficasse no BC até o final do governo, em uma reunião que tiveram nesta tarde.

iG São Paulo |

Reprodução
Meirelles, opção de Lula e PMDB

Meirelles, opção de Lula e PMDB

Com minha experiência como banqueiro, deixo para ter a inclinação da hora que tiver de tomar a decisão, assinalou Meirelles, ao explicar o pedido de prazo ao presidente Lula para tomar a decisão sobre seu futuro.

Se não ficar no Banco Central, Meirelles pode optar a concorrer pelo Senado Federal, como pressiona o PMDB de Goiás, ou ficar no banco de reserva para composição como vice na chapa de Dilma Rousseff (PT).

Na noite de sexta-feira, Meirelles tratou de seu futuro político com Lula, mas a conversa não foi conclusiva. Segundo o colunista do iG Guilherme Barros,  Henrique Meirelles virou o plano B de Lula e do PMDB . Se Dilma Rousseff crescer muito, Lula pode ter força suficiente para impor o nome de Meirelles como vice da candidata do PT. Já se Dilma cair muito, ele vira o Plano B do PMDB.

Questionado no início da noite de segunda-feira por jornalistas se Meirelles deixaria o BC, Lula disse que "esta é uma pergunta que só ele pode responder".

Reuniões

O presidente também tem reuniões agendadas com o ministro da Secretaria Especial de Portos, Pedro Brito, que pode partir para a disputa de uma vaga de deputado federal pelo Ceará; e com o ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, que há tempos busca apoio para disputar a sucessão do governo de Minas Gerais.

As conversas ocorrem na data limite, pois na quarta-feira haverá uma cerimônia de despedida para os ministros que deixam o cargo e partem em busca de uma candidatura e de boas-vindas para quem assume a vaga deixada.

Cerimônia de despedida

Em fevereiro, Tarso Genro foi o primeiro ministro a deixar o cargo para se lançar pré-candidato ao governo do Rio Grande do Sul. Entre os que deixam as pastas e se despedem na cerimônia na quarta-feira, estão a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, os ministros das Comunicações, Hélio Costa, de Minas e Energia, Edison Lobão e da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima. Há ainda o ministro da Previdência, José Pimentel, do Meio Ambiente, Carlos Minc, dos Transportes, Alfredo Nascimento, da Agricultura, Reinhold Stephanes e da Igualdade Racial, Edson Santos.

(*com informações da Agência Brasil, Reuters e Agência Estado)

Leia mais sobre eleições 2010

    Leia tudo sobre: eleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG