Medvedev envia condolências à família de escritor russo

Moscou, 4 ago (EFE).- O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, enviou condolências à família do escritor russo e Prêmio Nobel de Literatura em 1970, Aleksandr Solzhenitsyn, que morreu hoje vítima de insuficiência cardíaca.

EFE |

A porta-voz do Kremlin, Natalia Timakova, disse que o chefe de Estado deu pêsames a esposa e filhos do escritor, que em dezembro completaria 90 anos.

Solzhenitsyn, um dos maiores críticos do antigo regime da União Soviética, morreu às 23h45 na hora local (16h45, Brasília) em sua residência em Moscou por uma insuficiência cardíaca aguda aos 89 anos de idade, segundo seus familiares.

O escritor que nasceu em 11 de dezembro de 1918 em Kislovodsk, na região do Cáucaso na então União Soviética, estudou Matemática e Física na Universidade de Rostov, em 1941, e depois entrou para o Exército russo na Segunda Guerra Mundial (1939-45).

Por suas críticas a Stalin, foi condenado em 1945 a oito anos de prisão em um campo de trabalho na Sibéria.

Entre suas primeiras obras se destacam "Pavilhão de Cancerosos" (1965) e "Um dia na vida de Ivan Denisovich".

Em 1974, durante o regime de Leonidas Breznev, Solzhenitsyn foi privado da nacionalidade soviética e expulso da URSS, acusado de traição à pátria após ter escrito "Arquipélago Gulag", com o qual obteve o Prêmio Nobel de Literatura em 1970.

O escritor se refugiou nos Estados Unidos e retornou à Rússia em 1994, quatro anos após ter recuperado sua nacionalidade original.

EFE bsi/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG