No Rio, Estado mais atingido pelo apagão, segundo o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, as Assessorias de Imprensa do Metrô Rio e da Supervia (concessionária dos trens da Região Metropolitana do Rio) disseram que não foram registrados problemas por causa do apagão que atingiu o Estado, ontem, a partir das 22h15. O Metrô tem gerador e, por isso, todos os passageiros foram deixados em estações e receberam o bilhete de volta.

Muita gente permaneceu nas estações com medo de assaltos. Nos trens também não houve tumultos, de acordo com as operadoras.

O governador Sérgio Cabral, que estava em Brasília, telefonou para o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, e ordenou que o Bope assumisse o patrulhamento das vias expressas e que todo o efetivo da Polícia Militar ficasse de prontidão.

Um assalto com reféns que havia começado um pouco antes do apagão terminou perto da meia-noite com dois criminosos baleados. Até aquele horário havia notícia de arrastão em pontos da zona norte, como a região no entorno do Maracanã e no bairro do Caju, mas a Polícia Militar não forneceu mais informações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.