Medina quer exportar o Rock in Rio para outras cidades da Europa e a China

O festival de música Rock in Rio, que será inaugurado na sexta-feira, em Madri, deve acontecer em outras cidades da Europa e, inclusive, na China, segundo os planos de Roberto Medina, que detém os direitos do evento.

AFP |

"Vou visitar Pequim no final de setembro para discutir a possibilidade de organizar o festival na China", contou Medina, presidente do Rock in Rio.

"Muitas pessoas de países da Ásia e da Europa estão interessadas em realizar o festival", afirmou ainda.

Medina analisa ainda a possibilidade de levar o evento ao México e talvez voltar a realizá-lo no Rio de Janeiro, onde nasceu em 1985, antes da Copa do Mundo de 2014.

Depois de três edições na Cidade Maravilhosa (1985, 1991 e 2001), Medina passou a organizar o evento em Lisboa, onde o festival se celebra bianualmente desde 2004.

O festival de Madri contará com os brasileiros Carlinhos Brown e Ivete Sangalo, além de celebridades internacionais como Bob Dylan, Police e Amy Winehouse.

Medina destaca a importância de sua iniciativa dentro da vontade do Brasil de aumentar sua presença no exterior, já que o Rock in Rio "exporta um modelo que nasceu brasileiro, é uma idéia única no mundo e é mais que uma empresa que investe no exterior".

O Rock in Rio de Madri começa em 27 e 28 e prossegue nos dias 4, 5 e 6 de julho.

A Cidade do Rock, situada em Arganda del Rey, na periferia de Madri, espera um público de 300 a 350 mil espectadores. Contará com uma passarela de moda, uma pista de snowboard e outra de skate, além de restaurantes, lojas e até uma creche visando ao público mais familiar.

    Leia tudo sobre: rock in rio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG