A instalação dos medidores individuais de consumo de água em condomínios nas cidades paulistas atendidas pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) pode custar até R$ 1 mil. A estimativa é de Márcio Rachkorsky, especialista em Direito Imobiliário do escritório Rachkorsky Advogados.

O advogado afirma, no entanto, que se trata de um investimento direto, com retorno num prazo entre seis meses e 1 ano.

Rachkorsky conta que acompanhou cerca de “cem assembléias” e em todas a idéia da medição individualizada foi bem recebida. A Sabesp ressalta que a mudança não será obrigatória e a decisão terá de ser tomada em assembléia dos condôminos. A empresa criou um programa chamado PróAcqua, em parceria com o Centro de Desenvolvimento e Documentação da Habitação e Infra-Estrutura Urbana (Cediplac), da Universidade de São Paulo (USP), cujo objetivo é treinar e capacitar empresas e profissionais para instalar os medidores individuais.

Para que os equipamentos sejam colocados no edifício, o síndico deverá entrar em contato com a PróAcqua. Os técnicos vão elaborar um projeto de individualização, que será diferente para cada prédio, por conta do tamanho e do número de unidades residenciais. A Sabesp informou que o custo da instalação varia de acordo com o tamanho do condomínio, mas aposta em uma média de R$ 700. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.