Médicos são acusados no Pará por sumiço de bebê

Mãe passou por todas as consultas do pré-natal, mas na hora da cesariana, médico negou que houvesse uma criança

AE |

A Polícia Civil do Pará concluiu nesta terça-feira o inquérito sobre o sumiço de um bebê durante o parto no hospital Maternidade do Povo, em Belém. A jovem Lana Carla Silva Pimenta, de 22 anos, passou por todas as consultas do pré-natal, mas na hora da cesariana, realizada no dia 19 de abril deste ano, o médico negou que houvesse uma criança.

A possibilidade de gravidez psicológica foi descartada, já que os exames comprovaram que a jovem estava grávida. A polícia suspeita que um aborto possa ter acontecido após a 26ª semana de gestação, quando Lana teve perda de líquidos e de sangue durante três dias consecutivos. O fato foi considerado "normal" pela equipe que a atendeu na unidade municipal de saúde da Marambaia.

Segundo a polícia, os três médicos responsáveis pelo caso foram indiciados por negligência. "Se todas as providências pertinentes por parte dos médicos tivessem sido adotadas, certamente não se chegaria ao desfecho que foi objeto da apuração desse inquérito policial", disse a delegada Mara Santos. O inquérito policial será encaminhado até quarta-feira para a Justiça.

    Leia tudo sobre: maternidadeinvestigação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG