www.sc.gov.br)." / www.sc.gov.br)." /

Médicos recebem treinamento para tratar leptospirose em Santa Catarina

FLORIANÓPOLIS - Um grupo de 70 médicos de Santa Catarina está sendo capacitado para atuar no tratamento da leptospirose. O treinamento foi organizado pela Secretaria Regional de Joinville ¿ umas das cidades catarinenses atingidas pelos temporais ¿ em parceria com a Secretaria de Saúde municipal, de acordo com dados divulgados no site do governo estadual (http://www.sc.gov.br/www.sc.gov.br).

Agência Brasil |

    Há alerta de risco de leptospirose em conseqüência das enchentes, sobretudo no litoral de Santa Catarina. Segundo o boletim do governo, os técnicos coletam o sangue das pessoas com suspeita da doença para confirmação do diagnóstico. O período de incubação da leptospirose pode variar de três a 30 dias.

    A orientação da Gerência Regional de Saúde é que as pessoas limpem as casas com uma mistura de água e água sanitária na seguinte proporção: para cada balde de 20 litros de água, adicionar quatro xícaras de água sanitária. A limpeza deve ser feita com luvas e botas de borracha, evitando o contato direto com a água ou com a lama.

    O boletim destaca que a Vigilância Epidemiológica dos municípios afetados pelos temporais deve acompanhar o paciente durante o tratamento, para que as cidades possam fazer o levantamento das ocorrências.

    Os sintomas da leptospirose são dores de cabeça, dores na panturrilha (batata da perna), vômito, febre e icterícia (amarelamento da pele). O tratamento é feito com antibióticos prescritos apenas por médicos.

    Em casos de suspeita da contaminação da água que está sendo ingerida, a orientação é adicionar duas gotas de água sanitária em  cada litro de água e aguardar 30 minutos antes do consumo. Outra recomendação é fazer a limpeza da caixa d'água.

    Leia mais sobre:

    Leia mais sobre: Santa Catarina

      Leia tudo sobre: enchentesanta catarina

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG