Tamanho do texto

A prmeira equipe de 20 médicos gaúchos que vêm ao Rio de Janeiro reforçar o atendimento a pacientes com dengue só deve chegar à noite. De acordo com informações do governo do Rio Grande do Sul, eles embarcam às 20h30 deste domingo na capital, Porto Alegre.

A partir de segunda-feira, passam a integrar equipes nas tendas de hidratação na Gávea, zona sul, para pacientes do Hospital Miguel Couto e no Méier, zona norte, para o Hospital Salgado Filho, como explicou o secretário estadual de Saúde do Rio, Sérgio Côrtes.

Segundo nota do governo gaúcho, há possibildade também de os médicos trabalharem nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) montadas na Penha, zona norte, onde a incidência de dengue é alta.

A equipe gaúcha que chega hoje à noite é formada por médicos da rede pública e privada e deve ficar no Rio por 15 dias. Durante o período, os gastos com hospedagem e alimentação serão custeados pelo governo estadual, que pagará também R$ 500 por plantão de 12 horas.

No Rio, 67 pessoas morreram com dengue desde o começo do ano e mais de 57 mil adoeceram. Ontem (5) o atendimento na rede foi tranqüila. A prefeitura ampliou o número de postos de saúde: abriu 40 a mais. Hoje, 28 unidades atendem. Nos últimos domingos, cinco abriram as portas.

Leia mais sobre: dengue

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.