Médicos farão cirurgia para retirar agulhas de criança na Bahia

SALVADOR - A equipe médica multidisciplinar que acompanha a evolução do quadro clínico do menino de 2 anos que tem dezenas de agulhas no corpo decidiu operar a criança na tarde desta sexta-feira. De acordo com Patrícia Guedes, coordenadora da UTI cardiopediátrica do Hospital Ana Neri, em Salvador, a cirurgia deve retirar as agulhas que atingiram o coração e o pulmão, já que elas causaram infecção e há risco que se movimentem e ampliem as sequelas.

iG São Paulo |

AE
Radiografia mostra agulhas no garoto
A expectativa é que a cirurgia dure por volta de seis horas.

As tomografias de tórax, abdome e coluna às quais o menino foi submetido na quinta-feira mostraram que há entre 25 e 30 agulhas no seu corpo. Duas delas atingiram o coração e uma perfurou o pulmão.

Segundo Patrícia, não é possível afirmar com certeza o número de agulhas porque elas podem ter sido camufladas nos exames, atrás de outras agulhas ou escondidas por ossos, mas os médicos trabalham com o número de 29 objetos.


Tratamento

Patrícia contou, também, que caso a cirurgia desta tarde seja bem sucedida, devem ser realizados, na semana que vem, dois outros procedimentos do gênero: um para remover agulhas localizadas perto da coluna vertebral - pelo menos um objeto atingiu a coluna cervical - e outro para tirar agulhas na região abdominal que possam comprometer órgãos vitais.

Há agulhas na região do fígado, dos dois rins, do intestino e da bexiga. Agulhas localizadas em regiões menos nobres não devem ser retiradas.

O menino passou a manhã consciente e brincando com um carrinho fornecido pela brinquedoteca do hospital.

De acordo com Reis, o menino responde bem ao tratamento com antibióticos e antitérmicos, iniciado na tarde de quinta-feira, mas seu estado ainda é considerado grave. "Vamos fazer uma cirurgia delicada, em que vamos abrir o tórax da criança, mas muito necessária".

O caso

A polícia considera que a criança teve as agulhas enfiadas no corpo durante um ritual de magia negra . De acordo com o delegado Hélder Fernandes Santana, que cuida do caso, o padrastro do garoto teria confessado o crime.

O auxiliar de serviços gerais Roberto Carlos Magalhães, de 30 anos, foi preso na última terça-feira. Ele teria confessado, durante depoimento, que levava o garoto à casa de uma mãe de santo chamada Angelina, que, segundo ele, praticava rituais de magia e o instruía a colocar as agulhas no menino. Magalhães, a amante dele e a suposta mãe de santo estão presos.

*Com informações da Agência Estado

Leia mais sobre: violência

    Leia tudo sobre: agulhasmenino

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG